Correio do Povo

Porto Alegre, 29 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
14º 26º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

14/04/2014 18:55 - Atualizado em 14/04/2014 19:33

Câmara aprova projeto que mantém 20% de multas para ciclovias

Vereador João Carlos Nedel entrou com requerimento para tentar reverter "votação simbólica"

Vereador Marcelo Sgarbossa, autor do projeto, é cumprimentado no plenário <br /><b>Crédito: </b> Francielle Caetano / CMPA / CP
Vereador Marcelo Sgarbossa, autor do projeto, é cumprimentado no plenário
Crédito: Francielle Caetano / CMPA / CP
Vereador Marcelo Sgarbossa, autor do projeto, é cumprimentado no plenário
Crédito: Francielle Caetano / CMPA / CP

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre aprovou de forma polêmica, nesta segunda-feira, o projeto de lei complementar do vereador Marcelo Sgarbossa (PT) para criar o Fundo Municipal de Gestão do Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI). A proposta recebeu aprovação de maneira simbólica, após o presidente, Professor Garcia, abrir votação e não alegar não ter recebido manifestação de nenhum parlamentar por voto nominal.

O vereador João Carlos Nedel (PP) garantiu, no entanto, ter levantado o dedo para pedir a palavra, não sendo atendido. Por conta disso, o parlamentar entrou com requerimento junto ao presidente da Casa para ser feita a votação nominal, mas este ainda não foi analisado por ausência de quórum.

Cerca de 30 ativistas a favor do transporte cicloviário comemoraram bastante a aprovação. Um segundo projeto sobre o tema, do Executivo, acabou sem votação por falta de quórum e poderá ser analisado na quarta-feira.

Pela proposta de Sgarbossa, os valores que farão parte do novo fundo serão provenientes de doações da iniciativa privada e entidades governamentais, decisões judiciais, contrapartidas e rendimentos e juros de aplicações financeiras dos recursos. O projeto determina também que o fundo mantenha no mínimo, 20% do valor arrecadado com multas de trânsito.

O projeto do Executivo altera o artigo 24 e revoga o PDCI. Ao propor a criação do fundo, o Executivo também acaba com a exigência prevista na LC 626, de utilização de 20% da arrecadação com infrações de trânsito.

Bookmark and Share 

Fonte: Lucas Rivas/Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.