Correio do Povo

Porto Alegre, 24 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
12ºC
Amanhã
16º


Faça sua Busca


Notícias > Polícia

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

25/04/2014 13:58 - Atualizado em 25/04/2014 14:00

Violência assusta moradores da vila Cruzeiro em Porto Alegre

Comunidade teme novos confrontos entre traficantes rivais

Violência assusta moradores da vila Cruzeiro em Porto Alegre<br /><b>Crédito: </b> André Ávila
Violência assusta moradores da vila Cruzeiro em Porto Alegre
Crédito: André Ávila
Violência assusta moradores da vila Cruzeiro em Porto Alegre
Crédito: André Ávila

A violência na vila Cruzeiro do Sul, na zona Sul de Porto Alegre, assustou os moradores. Nem a presença da Brigada Militar, que tem realizado o patrulhamento na região, foi suficiente para acalmar a comunidade que teme novos confrontos entre traficantes rivais. Poucas pessoas saíram às ruas na manhã desta sexta. 

Moradora da região há 40 anos, uma senhora que não quis se identificar elogiou a presença da polícia militar. ”Queremos paz. Não temos nada a ver com o tráfico e não podemos virar um Rio de Janeiro com guerra de gangues a todo o momento”, desabafou. Outra moradora afirmou que nunca tinha visto o fechamento de escolas e postos de saúde em função de conflitos de traficantes. “Foi uma demasia o fechamento postos de saúde e escolas em função da violência. Ainda bem que a polícia vai ficar bastante tempo na vila”, comentou.

A diretora da escola estadual Almirante Álvaro Alberto da Mota e Silva, Beatriz Rocha Gonçalves, disse que os novos professores da escola ficaram assustados com a violência na região. “ O clima ficou tenso porque ouvíamos os tiros na rua Dona Otília”, explicou. Ela defendeu a realização de patrulhas diárias próximo das escolas como forma de inibir a ação dos criminosos.

O comandante do Território de Paz Santa Tereza, major José Carlos Pacheco, do 1º BPM, informou que 90 policiais estão atuando no local. “Vamos ficar o tempo que for necessário e não existe toque de recolher na região porque estamos atuando para dar tranquilidade aos moradores”, destacou. Conforme o major, a situação foi tranquila na manhã desta sexta-feira. 


Bookmark and Share

Fonte: Cláudio Isaías / Correio do Povo





» Tags:Polícia

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.