Porto Alegre, sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

  • 25/04/2014
  • 16:38
  • Atualização: 16:40

Comissão da Verdade pede apuração da morte de Malhães

Coronel que confessou tortura foi assassinado no Rio

Malhães prestou depoimento à CNV em 25 de março | Foto: Daniel Marenco / Folha Press / CP Memória

Malhães prestou depoimento à CNV em 25 de março | Foto: Daniel Marenco / Folha Press / CP Memória

  • Comentários
  • AE

O coordenador da Comissão Nacional da Verdade (CNV), Pedro Dallari, solicitou nesta sexta, ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que a Polícia Federal acompanhe as investigações da Polícia Civil do Rio sobre o assassinato do ex-agente do Centro de Informações do Exército (CIE), Paulo Malhães, ocorrido nesta quinta-feira, 24, à noite na zona rural de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Dallari e Cardozo conversaram por telefone.

• Maria do Rosário vê como “estranho” o assassinato de Coronel

Malhães prestou depoimento à CNV em 25 de março, quando deu sua versão sobre operação do Exército para desaparecer com os restos mortais do deputado federal Rubens Paiva. Informou também que agentes do CIE mutilavam corpos de vítimas da repressão assassinadas na Casa da Morte, em Petrópolis (Região Serrana do Rio), arrancando suas arcadas dentárias e as pontas dos dedos para impedir a identificação, caso os corpos fossem encontrados.

Para a CNV, a morte de Manhães e a eventual relação desse crime com as revelações feitas por ele à CNV, à Comissão Estadual da Verdade do Rio e à imprensa devem ser investigadas com rigor e rapidez. "Por se tratar de uma situação que envolve investigação conduzida pela CNV, que é órgão federal , pedi que a Policia Federal fosse acionada para acompanhar as investigações conduzidas pela Polícia Civil do Rio", afirmou Dallari. 

Bookmark and Share