Porto Alegre, sábado, 22 de Novembro de 2014

  • 25/04/2014
  • 19:37
  • Atualização: 19:38

Justiça decreta bloqueio dos bens do pai de Bernardo

Leandro Boldrini é suspeito de envolvimento no assassinato do filho

  • Comentários
  • Samuel Vettori / Rádio Guaíba

A Justiça decretou, na tarde desta sexta-feira, o bloqueio dos bens de Leandro Boldrini, pai do garoto Bernardo, que foi vítima de homicídio no último dia 4 de abril. O médico, que está preso temporariamente por suspeita de envolvimento no caso, junto da madrasta do menino e de uma amiga do casal, fica proibido de realizar movimentações financeiras e negociar bens móveis ou imóveis. A decisão é do juiz Marcos Luís Agostini, da 1ª Vara Judicial de Três Passos.

O pedido foi proposto pelo Ministério Público. O órgão sustenta não ser lícito que Boldrini custeie advogados com valores ou bens que integrem o acervo hereditário da vítima. Está em tramitação o inventário de bens de Odilaine, mãe de Bernardo, que morreu em 2010, vítima de suicídio. O menino era o único herdeiro dela. O MP adverte ainda – e não acha justo - que Boldrini pode custear a defesa com os valores ou bens que fazem parte do conjunto de bens do menino.

•  Leia mais sobre o caso Bernardo Boldrini

A indisponibilidade dos bens é total até que seja esclarecido o total que, originalmente, pertence a Bernardo. O juiz registra que há processo de inventário no qual apenas um bem imóvel foi arrolado: um terreno com casa, vendido quase um ano antes da morte de Odilaine. A suspeita é que os valores obtidos com a transação do imóvel foram utilizados na aquisição da casa onde residia a família até a morte de Bernardo e sobre a qual ele tinha direitos hereditários, da parte que pertencia à mãe.

O magistrado determinou a intimação da avó materna para que se habilite caso tenha interesse em reivindicar a herança.

Bookmark and Share