Porto Alegre, quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

  • 29/04/2014
  • 08:54
  • Atualização: 09:39

Suspensas aulas após morte de agricultores em Faxinalzinho

Prefeito recomendou que comércio não abra as portas devido à clima tenso no Alto Uruguai

  • Comentários
  • José Ody / Correio do Povo

O prefeito de Faxinalzinho, Selso Pelin, determinou nesta terça-feira a suspensão das aulas nas escolas municipais e pediu que o comércio não abra as portas nesta manhã. A justificativa é o clima tenso na região do Alto Uruguai em razão da morte de dois agricultores em suposto confronto com indígenas. O prefeito também vai decretar luto oficial de três dias.

• Cacique afirma que agricultores teriam feito criança refém
• Prefeito reclama de negligência da União em disputa de terras
• Dois agricultores são mortos em área de conflito indígena

O prefeito informou que os acessos ao município e a estradas do interior estão bloqueados. “Amanheceu como ontem. Tudo fechado”, disse Pelin. De acordo com ele, o município estaria praticamente isolado com o fechamento dos acessos rodoviários. Não há recolhimento de leite, de suínos e aves e nem distribuição de ração para propriedades do interior. Segundo o prefeito, a Brigada Militar estaria esperando uma decisão da Justiça de São Valentim para intervir.

Os agricultores mortos são velados na Linha Coxilhão, onde moravam. Os indígenas do acampamento de Candóia, que estariam envolvidos nas manifestações iniciadas na segunda-feira com bloqueio de estradas, reivindicam há cerca de 11 anos a demarcação de terras na região.

Bookmark and Share


TAGS » Geral, Indígenas