Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
14º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/05/2014 10:44 - Atualizado em 10/05/2014 11:19

Restos mortais não identificados do 11 de setembro são tranferidos

Familiares de vítimas protestaram por mais de mil corpos sem identificação

Restos mortais foram transportados em caixas metálicas envolvidas pela bandeira americana
Crédito: Andrew Burton / AFP / CP

Milhares de restos mortais não identificados de vítimas dos atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova Iorque foram transferidos neste sábado, em uma cerimônia discreta, para o Marco Zero, o local onde ficavam as Torres Gêmeas, transformado agora em memorial e museu. A transferência foi criticada por algumas famílias de vítimas, que consideraram um "insulto" que os possíveis restos mortais de parentes tenham sido colocados em um espaço sob a terra no museu construído no local dos ataques que deixaram quase 3 mil mortos.

A transferência aconteceu com um cortejo sóbrio de 15 veículos, que partiu durante o início da manhã da sede do Instituto Médico Legal de Nova Iorque na zona leste de Manhattan. Veículos do Departamento de Polícia, carros dos bombeiros e caminhonetes da Autoridade Portuária de Nova Iorque e Nova Jersey integraram o cortejo, que chegou pouco depois das 7h (8h em Brasília) ao local do museu e memorial no sudoeste de Manhattan.

Os restos mortais foram transportados em "caixas metálicas retangulares para traslados militares, envolvidas pela bandeira americana", disse o porta-voz da polícia, Carlos Nievas. As autoridades não programaram nenhuma cerimônia, mas parentes das vítimas estiveram presentes.

Das 2,75 mil pessoas declaradas desaparecidas no World Trade Center (WTC), mais de mil não foram identificadas, o que representa quase 40% do total, segundo as autoridades de Nova Iorque. O governo recuperou 21,90 mil restos mortais na área dos atentados, mas 7,93 mil não coincidiram com nenhuma das mostras de DNA fornecidas por familiares das vítimas.

O novo local de descanso dos restos mortais fica a 20 metros de profundidade e o público não terá acesso. Permanecerá controlado pelo Instituto Médico Legal de Nova Iorque. Mas um grupo de parentes protestou e considerou a decisão da prefeitura um "insulto" e um "sacrilégio". "A cidade se negou a perguntar entre as famílias das vítimas para conhecer sua opinião porque sabem que a maioria está contra este plano", afirmou Sally Regenhard, vice-presidente da Associação de Pais e Famílias de Bombeiros e Vítimas do atentado no WTC. "Queremos um local separado e diferenciado no prédio. Há espaço suficiente", completou a mulher, que perdeu o filho Christian nos
atentados. Rosaleen Tallon, irmã do bombeiro Sean Tallon, que morreu nos ataques, afirmou que os "restos humanos são sagrados, identificados ou não", e que é "muito duro" explicar aos filhos a decisão da prefeitura. O órgão enviou na semana passada uma carta aos familiares que anunciava a transferência, que segundo o texto seria realizada de "maneira respeitosa e digna".

O Museu do 11 de setembro abrirá ao público no dia 21 de maio, mas as autoridade estabeleceram um "período de homenagem" de cinco dias, de 15 a 20 de maio, dedicado a, entre outros, familiares de vítimas dos atentados, trabalhadores e equipes de emergência do WTC, assim com aos sobreviventes. A partir do dia 15, os parentes das vítimas "terão a oportunidade de visitar a Sala de Reflexão, um espaço privado com acesso exclusivo a eles", segundo a carta da prefeitura. O novo WTC inclui cinco torres, o memorial e museu, um centro de transportes público, quase 550 mil metros quadrados para o comércio varejista e um centro de artes.


Bookmark and Share


Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.