Correio do Povo

Porto Alegre, 27 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
7ºC
Amanhã
18º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

12/05/2014 07:24 - Atualizado em 12/05/2014 08:08

Grupo extremista quer libertação de presos em troca de nigerianas

Em vídeo, líder do Boko Haram revelou que adolescentes foram convertidas ao islã

Grupo extremista quer libertação de presos em troca das jovens<br /><b>Crédito: </b> Boko Haram / AFP / CP
Grupo extremista quer libertação de presos em troca das jovens
Crédito: Boko Haram / AFP / CP
Grupo extremista quer libertação de presos em troca das jovens
Crédito: Boko Haram / AFP / CP

O grupo extremista Boko Haram divulgou nesta segunda-feira um novo vídeo em que alega que as adolescentes nigerianas sequestradas em abril foram convertidas ao islã e anuncia que as jovens serão libertadas com a troca de islamitas presos.

O líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, fala durante 17 minutos no vídeo e mostra quase 130 adolescentes vestindo hijabs que cobrem todo o corpo, rezando ao ar livre em um local não identificado.  No total, 267 adolescentes foram sequestradas em 14 de abril em Chibok, no estado de Borno (nordeste da Nigéria), que tem uma importante comunidade cristã. De acordo com as autoridades, 223 jovens continuam desaparecidas.

Início da violência extremada

Em 2009, eclodiram confrontos entre a polícia e o Boko Haram em Maiduguri. Em uma grande operação, o Exército matou 700 pessoas e capturou Mohamed Yusuf, que depois foi executado. O movimento passou a agir na ilegalidade. Alguns de seus integrantes fugiram para o exterior. “É neste momento que eles são influenciados por um movimento jihadista internacional que os convence da inutilidade do protesto pacífico”, indica o pesquisador francês Marc-Antoine Pérouse de Montclos.

Os líderes do grupo, então, passaram a um nível superior. Não trata-se apenas de impor a lei islâmica na Nigéria, mas desestabilizar o Estado com uma estratégia terrorista de medo e pânico. Abubakar Shekau, que era o braço direito do líder executado, assumiu o comando. O que se seguiu foi uma escalada da violência contra escolas, igrejas, mesquitas e símbolos do Estado, deixando milhares de mortos. Entre os atos terroristas, está o ataque à sede da ONU que matou 23 pessoas na capital, Abuja, em agosto de 2011. Recentemente, dois ataques atingiram a cidade em menos de três semanas, causando 90 mortes.

Laços no exterior

De acordo com diplomatas, membros do Boko Haram foram treinados pela Al-Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI) no Norte do Mali entre 2012 e 2013. Washington também acredita que existam ligações entre as duas organizações. Além disso, a presença do Boko Haram em Níger, Chade e Camarões não é uma novidade. Mas as ações do Boko Haram, que nunca reivindicou sequestros de estrangeiros, permanecem bastante focadas na Nigéria. A única exceção foi o sequestro da família francesa Moulin-Fournier, em fevereiro de 2013. As vítimas foram libertadas dois meses depois. Em termos de financiamento, o Boko Haram recebe o apoio de fiéis nas mesquitas e organiza assaltos a bancos. Não há evidência de movimentações de recursos do exterior.

Bookmark and Share


Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.