Correio do Povo

Porto Alegre, 29 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
10ºC
Amanhã
16º 27º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

13/05/2014 07:24 - Atualizado em 13/05/2014 07:45

Castelo na zona Sul do Estado está à venda

Edificação secular pertenceu a Joaquim Francisco de Assis Brasil

 Houve várias tentativas frustradas de captar recursos para a restauração do castelo<br /><b>Crédito: </b> Carlos Queiroz / Diário Popular / CP
Houve várias tentativas frustradas de captar recursos para a restauração do castelo
Crédito: Carlos Queiroz / Diário Popular / CP
Houve várias tentativas frustradas de captar recursos para a restauração do castelo
Crédito: Carlos Queiroz / Diário Popular / CP

O apelo seria a exploração turística e o motivo, uma das últimas tentativas de preservar uma edificação secular, de valor histórico, erguida nas planícies de Pedras Altas, na Zona Sul do Estado. O Castelo Assis Brasil está à venda, decisão tomada pelos 20 herdeiros de Joaquim Francisco de Assis Brasil, diplomata, político, revolucionário, agropecuarista e escritor, que escolheu o município para morar com a segunda mulher, em 1904. A obra foi construída entre 1909 e 1913, com granito rosa, pedra existente em abundância na região.

Houve várias tentativas frustradas de captar recursos para a restauração do castelo, um dos principais pontos turísticos de Pedras Altas. O projeto foi aprovado em 2008 pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, mas não houve interessados, diz Lídia Costa Pereira de Assis Brasil, moradora do castelo e neta do proprietário. Segundo ela, nem todos os herdeiros concordaram com a documentação necessária à captação da verba para o restauro e a venda foi a melhor saída. Com a edificação, que tem 44 cômodos, será vendida toda a propriedade da Granja de Pedras Altas, que possui 300 hectares e é produtiva.

O castelo é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico do Estado e está em processo de tombamento nacional, o que facilitaria o acesso a programas federais de restauro e preservação. Município, Estado e União têm preferência na aquisição e, caso não manifestem interesse, a obra poderá ser ofertada à iniciativa privada. O valor não é revelado. Com infiltrações nas paredes, o castelo de traços medievais guarda rico acervo, como a biblioteca de 8 mil volumes.

Bookmark and Share


Fonte: Luciana Scneid / Correio do Povo





» Tags:Geral Pelotas

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.