Porto Alegre, sábado, 25 de Outubro de 2014

  • 19/05/2014
  • 19:41
  • Atualização: 19:47

Agergs confirma multas a CEEE e RGE por quedas de luz no verão

CPI da Energia Elétrica ouviu representantes da entidade nesta segunda-feira

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

A CPI da Energia Elétrica ouviu, nesta segunda-feira na Assembleia Legislativa, representantes da Agergs e da Aneel. A ineficiência no fornecimento de energia pelas concessionárias do Rio Grande do Sul, agravou-se no verão passado. Devido às falhas constantes no abastecimento, a Aneel solicitou três inspeções extraordinárias, já realizadas pelos técnicos da Agergs, o que resultou em uma multa de R$ 2,6 milhões já aplicada à AES Sul em função de falta de abastecimento em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. A CEEE e a RGE também devem ser autuadas, esclareceu o presidente da agência reguladora gaúcha, Carlos Martins.

“Amanhã (terça-feira) deve ser divulgada a sanção a ser oferecida à CEEE”, adiantou. Uma das sugestões da Agergs é encaminhar Termos de Ajustamento de Conduta, junto ao Ministério Público, para comprometer as concessionárias a cumprir um plano de melhorias e investimentos na rede.

Um dos dados mais alarmantes está no comparativo entre os meses de janeiro e fevereiro de 2014 e 2013. Aumentou a média das compensações garantidas aos clientes em função dos transtornos causados pela falta de luz. A análise envolve as três maiores concessionárias – RGE, AES Sul e CEEE. O salto maior foi em relação à CEEE, que em 2013 ressarciu R$ 1,335 milhões e em 2014, R$ 6.175 milhões. A alta é de 256%. Na AES-Sul o aumento das compensações aos consumidores, comparando os dois meses do verão, ficou em 38% e, na RGE, em 31%. Os descontos são abatidos da fatura do consumidor.

O superintendente de regulação da Aneel, Carlos Alberto Matar, destacou que a agência também pune e exige melhor qualidade na prestação do serviço. As operadoras do Rio Grande do Sul já solicitaram pedido de renovação das concessões junto à Aneel. O representante da entidade também admitiu que os custos da produção de energia estão elevados em todo o país.

O presidente da CPI, Lucas Redecker, cobrou uma maior fiscalização da Agergs. “De acordo com dados da Secretaria da Fazenda, a Agergs só destinou 8% do valor arrecadado para as fiscalizações. Nossos próximos passos envolvem as concessionárias, que são alvos das queixas. agora vamos ouvi-lás.”, adiantou Redecker. O parlamentar ainda salientou que, mais uma vez, ficou comprovada a ineficiência das operadoras. “Agora, quem está afirmando são os órgãos reguladores. A ineficiência é notória para toda a sociedade. São multas em cima de multas e nada é resolvido”, lamentou.

Bookmark and Share


TAGS » Falta de luz, Geral, CEEE, RGE