Porto Alegre, sábado, 22 de Novembro de 2014

  • 20/05/2014
  • 07:34
  • Atualização: 07:37

Grito da Terra deve reunir 5 mil em Porto Alegre

Demarcações de terras, reforma agrária e educação rural integram pauta

  • Comentários
  • Correio do Povo

A solução para a demarcação de terras, a distribuição de protetor solar pelo governo e a educação no campo são algumas das principais reivindicações que os agricultores familiares ligados à Fetag farão nesta terça-feira, em Porto Alegre, durante o 20º Grito da Terra Brasil. A expectativa dos organizadores é de que cerca de 5 mil pessoas, de 352 sindicatos de trabalhadores rurais, participem da atividade.

Os ônibus começam a chegar às 6h ao Parque da Harmonia, onde uma assembleia definirá as ações do grupo. Os atos também ocorrem em Brasília e nos outros 26 estados, devendo reunir 50 mil pessoas, segundo o presidente da Contag, Alberto Broch. Segundo ele, a pauta prevê aumento dos recursos de investimento e custeio para agricultores familiares, a implementação de um novo plano de reforma agrária e a melhoria dos atuais assentamentos, entre outros pontos.

Em Porto Alegre, a partir das 13h, os agricultores deslocam-se para o Palácio Piratini, onde esperam se reunir com o governador Tarso Genro. Uma pauta com 44 itens foi entregue em 29 de abril. "Esperamos que as reivindicações sejam atendidas e que tenhamos encaminhamentos concretos", afirma o presidente da Fetag, Elton Weber. De acordo com o vice-presidente da federação, Carlos Joel da Silva, governo federal e estadual têm responsabilidade nas demarcações de terras. "O governador pode discutir isso com o governo federal e chamar as partes para encaminhar a questão", observa. Com relação à distribuição de protetor solar, a Fetag ainda espera uma resposta do Estado. Os produtores temem que, com o início do calendário eleitoral, a ação seja adiada.

Bookmark and Share