Porto Alegre, quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

  • 27/05/2014
  • 12:04
  • Atualização: 12:24

Paquistanesa grávida é agredida com tijolos até a morte

Mulher de 25 anos foi morta por ter escolhido homem para casar

  • Comentários
  • AFP

Uma paquistanesa grávida de três meses foi espancada até a morte com tijolos por membros de sua própria família
nesta terça-feira por se casar com o homem de sua escolha, informou a polícia. Farzana Iqbal, de 25 anos, foi atacada em frente ao tribunal de Lahore por cerca de 30 pessoas, incluindo seu pai e seu irmão, informou o investigador Rana Akhtar.

Ela havia comparecido ao tribunal para defender seu marido contra as alegações, feitas por sua família, de que ele a havia sequestrado e obrigado a se casar com ele. Segundo Akhtar, entre 28 e 30 pessoas atacaram a jovem. "Primeiro o irmão abriu fogo com uma arma, mas não a atingiu. Ela tentou correr, mas caiu", disse o investigador. "Os parentes a alcançaram e então a espancaram até a morte com tijolos", declarou.

Mohammad Mushtaq, outro policial, confirmou o caso. Mushtaq informou que a polícia abriu uma investigação a pedido do marido de Farzana, Iqbal, que também tem outra esposa. O advogado de Farzana, Rao Mohammad Kharal, declarou que "Farzana estava aqui para dizer ao tribunal que se casou por sua própria vontade".

Muitas mulheres paquistanesas não têm voz na decisão de seu casamento, já que acredita-se que desobedecer os desejos de seus parentes leva vergonha à família. No ano passado, 869 mulheres morreram nos chamados "crimes de honra", de acordo cm uma Comissão de Direitos Humanos independente do Paquistão. "Estes crimes persistem devido à impunidade dos assassinos", declarou a Comissão em um relatório.

Bookmark and Share