Porto Alegre, domingo, 26 de Outubro de 2014

  • 06/06/2014
  • 12:06
  • Atualização: 16:42

Três suspeitos de atacarem carro-forte são mortos pela polícia

Caminhão foi usado para interceptar blindado na ERS 400, no Vale do Rio Pardo

Bandidos portavam armamento pesado | Foto: André Mello / Especial / CP

Bandidos portavam armamento pesado | Foto: André Mello / Especial / CP

  • Comentários
  • Álvaro Grohmann / Correio do Povo

Pouco antes do meio-dia desta sexta-feira, um carro-forte foi atacado na ERS 400, entre Candelária e Passa Sete, no Vale do Rio Pardo. Um caminhão foi usado para interceptar o blindado no Km 18 da rodovia. Houve confronto com a polícia e três suspeitos de cometerem o crime, que acabaram mortos, entre eles o conhecido assaltante "Teco", 47 anos, parceiro do Seco - assaltante que está preso na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) e que usava a mesma técnica de ataque (jogar caminhões contra blindados). Um integrante do grupo tentou escapar, mas foi capturado. Ferido, foi levado para o Hospital de Candelária e de lá transferido para Santa Cruz do Sul.

A quadrilha seria liderada pelo criminoso, considerado de alta periculosidade, estava fortemente armada com fuzis, pistolas e explosivos. O cerco policial foi realizado pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), sendo mobilizados em torno de 50 policiais, com apoio da Delegacia Especializada de Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec) de Santa Cruz do Sul. O titular da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos,delegado Joel Wagner, revelou que as investigações sobre as atividades de Teco começaram há dois anos após os roubos do Bradesco em Carlos Barbosa, em outubro de 2012, e de um carro-forte em Nova Petrópolis, em novembro de 2013, onde usaram explosivos para acessar o cofre.

Nos últimos meses, explicou Joel Wagner, surgiu a informação de que um transporte de valores seria atacado na manhã desta sexta por Teco, que estava em liberdade desde o dia 14 de maio de 2013, após ter progredido para o regime semiaberto em maio de 2012 e encaminhado da Pasc para Colônia Penal de Venâncio Aires. A operação policial foi montada então para impedir o êxito da quadrilha. Durante o trabalho investigativo, os agentes estiveram várias vezes no Vale do Rio Pardo. “Mapeamos até as possíveis rotas de fuga da quadrilha”, revelou o delegado Joel Wagner, que teve apoio na ação da equipe do delegado Luciano Menezes, titular da Defrec de Santa Cruz do Sul.

Natural de Santa Cruz do Sul, Teco participou no passado de uma série de ataques contra bancos e carros-fortes no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.  Em 14 de janeiro de 2010 foi capturado pelo 15º BPM de Canoas no bairro Mato Grande com uma caminhonete Fiat Strada, roubada e com placas clonadas. Com o criminoso foram apreendidos um revólver e uma pistola 9mm. Na ocasião, ele estava foragido desde maio de 2008, sendo investigado por comandar um assalto ao carro-forte no Campus da Universidade de Caxias do Sul, em novembro de 2009, além de suspeito de assaltar o Banco do Brasil de Boqueirão do Leão, em setembro de 2009, e de um ataque a carro-forte na BR 116, em Tapes, em novembro de 2008.

Teco foi considerado envolvido ainda nos assaltos simultâneos ao Banrisul e Banco do Brasil de Triunfo, em junho de 2008, e ao Banrisul e Banco do Brasil de Farroupilha, em novembro do mesmo ano. Na ocasião, clientes e funcionários do banco foram rendidos e colocados numa van por pelo menos oito bandidos armados de metralhadoras e fuzis. Em 1994, Teco foi responsável pelo primeiro sequestro de Santa Cruz do Sul, mantendo como vítima um universitário.

Ataques ocorridos no passado contra carros-fortes de São Francisco de Paula, Venâncio Aires, Nova Petrópolis e Barra do Ribeiro, além de assaltos nos pedágios entre Lajeado e Santa Cruz do Sul e de agências bancárias em Riozinho e Guaporé, teriam participação também do criminoso.


                                  Um dos mortos foi o assaltante "Teco" / Foto: SSP / Divulgação / CP

Bookmark and Share