Porto Alegre, domingo, 23 de Novembro de 2014

  • 15/06/2014
  • 09:37
  • Atualização: 09:58

Novas negociações sobre gás entre Rússia e Ucrânia será em dia de luto

Reunião será realizada em um contexto tenso depois que avião foi derrubado, matando 49 pessoas

  • Comentários
  • AFP

Moscou e Kiev retomam neste domingo suas negociações sobre o gás para evitar um corte iminente do fornecimento, muito temido na Europa, em um dia de luto nacional na Ucrânia pelo ataque contra um avião militar no leste separatista que deixou 49 mortos.

A reunião entre Rússia, Ucrânia e União Europeia será realizada neste domingo a partir das 16h locais (13h de Brasília) em Kiev, anunciou a Naftogaz, a empresa ucraniana de gás.

Estarão presentes o ministro ucraniano da Energia, Yuri Prodan, os presidentes do grupo russo Gazprom e do Naftogaz, e o comissário europeu de Energia, Günther–ttinger. No sábado eles já se reuniram em Kiev, embora sem resultado. A Gazprom deu um ultimato até segunda-feira para que a Ucrânia pague 1,95 bilhão de dólares de contas de gás pendentes. Do contrário, a Rússia advertiu que passará a um sistema de pré-pagamento que implicaria um corte de fornecimento.

Um eventual corte afetaria a União Europeia. Ela depende em 30% do gás russo, e a metade deste gás transita pela Ucrânia. As negociações são realizadas em um contexto extremamente tenso, depois que um avião foi derrubado no sábado por rebeldes pró-russos em Lugansk (leste da Ucrânia), matando 40 paraquedistas e os nove membros da tripulação.

Coquetel molotov

Este ataque perto do aeroporto de Lugansk afasta as esperanças de uma desativação da crise, criadas com os contatos nos últimos dias entre Kiev e Moscou. O ataque mais mortífero desde o lançamento em abril de uma operação militar ucraniana no leste separatista provocou reações internacionais e protestos no país.

Em Kiev, 300 manifestantes lançaram um coquetel molotov contra a embaixada russa, viraram veículos diplomáticos, lançaram ovos e retiraram a bandeira russa. Os bombeiros controlaram rapidamente o fogo originado em uma parede da representação diplomática, e os ministros do Interior e das Relações Exteriores se dirigiram ao local para tentar acalmar os ânimos.

A Rússia protestou na noite de sábado e denunciou a passividade da polícia ucraniana diante destas ações provocativas, enquanto os Estados Unidos condenaram o ataque e convocaram Kiev a respeitar a Convenção de Viena que obriga a garantir a segurança dos edifícios diplomáticos.

O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, prometeu uma resposta adequada contra os separatistas pró-russos por terem derrubado o avião militar. O chanceler russo, Serguei Lavrov, pediu no sábado ao secretário americano de Estado, John Kerry, que use sua influência para que a Ucrânia cesse sua operação militar contra os separatistas pró-russos no leste do país.

O exército dos Estados Unidos afirmou na sexta-feira que a Rússia forneceu tanques e lança-foguetes aos insurgentes pró-russos no leste da Ucrânia através da fronteira comum.

Bookmark and Share