Correio do Povo

Porto Alegre, 20 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
18ºC
Amanhã
13º 23º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

26/06/2014 11:24 - Atualizado em 26/06/2014 11:40

Mais de 150 pessoas são atingidas pelas chuvas no RS

Defesa Civil monitora 16 municípios gaúchos

Pelo menos 16 municípios gaúchos foram atingidos por fortes chuvas e são monitorados pela Defesa Civil do Estado nesta quinta-feira. De acordo com o órgão, a média de casas afetadas é de quatro por cidade e cerca de 158 pessoas foram prejudicadas pelas enxurradas, mas ainda não há informações sobre desalojados e desabrigados.

Barão de Cotegipe


O prefeito de Barão de Cotegipe está tendo uma preocupação extra nesta quinta-feira. “A situação está melhor, mas a cada pouco dou uma olhada se o rio não saiu do leito”, disse ele, que pode visualizar o rio da prefeitura. Ele se refere ao rio Jupirangaba que atravessa toda a área urbana da cidade na avenida principal.

Na quarta-feira o rio transbordou por 1h30min, mas nesta quinta-feira mantém-se no leito, embora bastante cheio. O prefeito avalia que o problema mais sério está no interior. Além de perdas em lavouras de trigo, Fernando Balbinot disse que “não tem ponte ou pontilhão que não tenha mexido”. Ele observou que o município tem “vários rios e riachos que subiram, muito por causa das chuvas e que a prefeitura terá muito trabalho extra”.

Caiçara

Também chove forte nesta quinta-feira em Caiçara, na zona da Produção, onde dezenas de famílias foram atingidas pelos alagamentos. De acordo com o prefeito Zílio Roggia, os rios Pardo e Pescoço subiram rapidamente em razão da enxurrada e e a maior preocupação agora é com a cheia do rio Uruguai.

Segundo balanço preliminar da prefeitura, nove famílias tiveram que ser retiradas de casa. Algumas que não quiseram deixar as residências permanecem em situação de risco. A Defesa Civil do Estado está na cidade para auxiliar os moradores. Um posto de gasolina, três mercados e uma agropecuária foram alagados.

Cruzaltense

Outro município que sofre com as chuvas é Cruzaltense, a 40 km de Erechim. Pelo menos quatro casas na Avenida Brasil Leste foram inundadas, mas “as famílias não querem sair”, disse na manhã desta quinta-feira, o prefeito, Kely José Longo. Ele afirmou que o rio Erechim saiu do leito e não há como atravessar sobre a ponte que liga a cidade com Campinas do Sul e Ponte Preta.

Para chegar a essas duas cidades é preciso pegar um caminho alternativo que evite passar pela ponte submersa. As aulas em todas as escolas de Cruzaltenese estão suspensas até sexta-feira. São cinco ônibus que fazem o transporte escolar, mas por segurança a opção foi manter os coletivos nas garagens e as crianças em casa. O município também tem perdas em áreas já plantadas com trigo.


Jacutinga

As chuvas que castigam toda a região do Alto Uruguai desde terça-feira estão deixando um rastro de prejuízos na região. No município de Jacutinga, a 30 km de Erechim, a situação melhorou nesta quinta-feira em relação ao dia anterior, mas segundo o prefeito Gelsi Luiz Lodea, ele recebeu informações de agricultores que perdera animais por causa da cheia do rio Jacutinga. “O que estava às margens do rio se foi” disse o prefeito referindo-se aos animais.

O prefeito afirmou que até esta quinta-feira pelo menos três bovinos foram levados pelas águas do rio, e suínos e aves não tem um número certo. O campo de futebol do Clube Veteranos também está coberto pelas águas do rio Jacutinga, bem como o bairro Nossa Senhora Aparecida.

Ponte Preta

Ponte Preta, que também recebe as águas do rio Erechim, teve seu pior dia por conta das cheias. Nessa quarta-feira uma serraria perdeu madeiras levadas pelas águas e nesta quinta, o prefeito Ademir Sarzenski, disse que o problema mais grave agora está em áreas plantadas com trigo. “Algumas áreas foram lavadas pelo rio” disse, o que exigirá o replantio depois que o tempo voltar a dar condições.

Bookmark and Share

Fonte: José Ody / Correio do Povo






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.