Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 01/07/2014
  • 07:20
  • Atualização: 11:05

Hospital da Restinga já recebe pacientes em Porto Alegre

Até 2015, unidade deve ter 170 leitos e empregar 800 funcionários

Hospital, quando pronto, vai comportar 13 mil atendimentos por mês | Foto: Ricardo Giusti / PMPA / CP

Hospital, quando pronto, vai comportar 13 mil atendimentos por mês | Foto: Ricardo Giusti / PMPA / CP

  • Comentários
  • Rádio Guaíba

O Hospital da Restinga e Extremo Sul abriu ao público, às 23h desta segunda-feira, na zona Sul da Capital. O Pronto Atendimento 24 Horas funciona, de início, com 25 leitos clínicos e pediátricos e a ala cirúrgica atende a procedimentos de baixa complexidade a partir desta terça, das 9h às 19h. Exames, eletrocardiogramas, raio-x e tomografias também já podem ser feitos no local. Os atendimentos e internações começaram dando prioridade a pacientes transferidos do Pronto Atendimento da Restinga, que com a abertura do hospital, deixa de funcionar. Mais 62 vagas de internação servem, a partir de agora, de retaguarda para a rede do Sistema Único de Saúde (SUS).

Com capacidade para atender até 13 mil pacientes por mês, entre adultos e crianças, quando estiver funcionando plenamente, o complexo deve ter as operações ampliadas de forma gradual, empregando de início 250 funcionários. Ainda não há data para a abertura da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), centros cirúrgicos e consultórios especializados, o que deve ocorrer até 2015.

O prefeito José Fortunati e o secretário da Saúde de Porto Alegre, Carlos Casartelli, participaram da solenidade simbólica de abertura ao público. A expectativa é de que a inauguração oficial ocorra com a participação da presidente Dilma Rousseff, até o fim da semana. Fortunati destacou o momento histórico de abertura de um hospital em Porto Alegre, depois de 40 anos. “Estamos concretizando um sonho, não apenas para a comunidade da Restinga e da Zona Sul, mas para a cidade como um todo”, afirmou o prefeito.

A previsão dos gestores é de que o hospital chegue à capacidade total de 170 leitos até abril (121 de internação e 49 de passagem), e contrate, no total, 800 profissionais. A unidade vai ser mantida pela equipe do Hospital Moinhos de Vento, com recursos da União, Estado e município. A meta é desenvolver um Sistema Regional de Saúde para atender os 110 mil moradores dos bairros Restinga, Lageado, Lami, Belém Novo, Ponta Grossa e Chapéu do Sol.

Bookmark and Share