Porto Alegre, 25 de Julho de 2016

Arraial do bem na Casa de Cultura

Postado por Mais Preza em 21 de julho de 2016 - Destaque, Gastronomia, M√ļsica, Show

Neste s√°bado, a Casa de Cultura Mario Quintana (Andradas, 736), na Capital, vai virar um grande arraial, com o objetivo de arrecadar doa√ß√Ķes pras comunidades das ilhas de Porto Alegre. A fun√ß√£o come√ßa √†s 15h, fa√ßa a chuva ou fa√ßa sol (se chover, a festa √© transferida pro sagu√£o da CCMQ)! ;)

E √© claro que uma comemora√ß√£o de S√£o Jo√£o n√£o estaria completa sem muita m√ļsica, comida boa e brincadeiras. Ali√°s, quem quiser participar da pescaria, do casamento na ro√ßa, das argolas ou de qualquer brincadeira tem que doar um agasalho, cobertor, alimento n√£o perec√≠vel ou fralda – cada idem doado vira uma ficha pra jogar.

Ah, além de tudo, vai rolar uma cadeia do bem cheia de pets para adoção esperando para serem resgatados. <3

Pra combater a fome, as op√ß√Ķes gastron√īmicas s√£o pancho, churrasquinho, pipoca, cocada, massas (com op√ß√Ķes vegetarianas!), crepe, docinhos, ma√ß√£ do amor, cerveja artesanal e, claro, quent√£o. A banda Maria Bonita vai embalar tudo com seus ritmos tradicionais nordestinos, e pro pessoal mais folk, a Cartas da Rua tamb√©m toca. Quer mais o qu√™? :D




Sexta é dia de festa do Fantaspoa

Postado por Mais Preza em 18 de julho de 2016 - Balada, Cinema, Destaque, M√ļsica

A pr√≥xima edi√ß√£o da festa Fantaspoa Toda La Noche √© nesta sexta e tem tudo pra ser √©pica: pra embalar a galera durante a mostra Fantaspoa Revisitado (que vai rolar no Santander Cultural desta quinta at√© a pr√≥xima quarta), o tema da vez √© um especial caveiras. A ideia √© juntar m√ļsica com teatro, uma pista cheia de cl√°ssicos do rock, novidades do indie e proje√ß√Ķes de filmes fant√°sticos num mesmo lugar: a Casa de Teatro (Garibaldi, 853), em Porto Alegre.

Foto: F√°bio Alt

Foto: F√°bio Alt

O line-up traz os DJs Karla Wunsch e Léo Tietboehl, além de Eduardo Normann e a residente Jade Primavera Рaliás, os modelos nessa foto aí de cima são eles! A função começa às 22h, e os ingressos ficam por R$ 15 até a meia-noite, quando o preço sobe pra R$ 20. E aí, não vai perder, né!? ;)




Food trucks, pets e solidariedade na Encol

Postado por Mais Preza em 15 de julho de 2016 - Destaque

Nesse s√°bado, dois projetos muito amor v√£o se juntar na Pra√ßa da Encol (Lucas de Oliveira, 1505), em Porto Alegre: o T√ī na Rua vai promover um encontro de pets por l√°, das 10h √†s 18h, em parceria com a ONG Patas Dadas! Tamb√©m v√£o marcar presen√ßa expositores com produtos pros bichinhos e cinco food trucks (mais precisamente¬†Taco Pizzaria, Vintage Caf√©, Maria & Fuma√ßa, Ol√≠via e Palito, Confraria Kero e Consuela’s Brownies).

Foto: Reprodução / Instagram / CP

O pessoal do Patas Dadas j√° resgatou mais de 500 animais – mas com isso, gerou uma d√≠vida de R$ 25 mil e agora esse projeto lindo corre o risco de deixar de existir. Junto com o T√ī NA Rua, eles v√£o estar arrecadando doa√ß√Ķes l√° na Encol no doming√£o, desde dinheiro at√© sacos de ra√ß√£o. Quem n√£o puder ir tamb√©m pode doar pela vakinha online. Toda ajuda √© v√°lida, n√©? :)

 




As coisas boas da Gritos de Paz

Postado por Mais Preza em 15 de julho de 2016 - Arte, Destaque, M√ļsica, Show

Esse s√°bado vai ser cheio de coisas boas, literalmente! A Gritos de Paz vai lan√ßar seu novo disco com um show no Gravador Pub (Conde de Porto Alegre, 26), √†s 19h, na Capital. Com 12 faixas, o √°lbum que leva o mesmo nome da banda traz um pouco de todos os estilos:¬†desde o rock em “Uma real” e um pouco de reggae em “O sol”. O som √© perfeito pra levantar do sof√° e sair dan√ßando por a√≠. ;)

Os ingressos antecipados saem por R$ 15 e na hora ficam por R$ 20. E pra j√° ir entrando nesse clima de total good vibes, vale dar uma olhada no clipe que¬†Gabriel Pedro (vocal), Renato Brasil (guitarra), Rafael Pedro (baixo), Plinio Brasil (teclado) e Greg Schneider (bateria) gravaram na Biblioteca Municipal pra m√ļsica “Coisas Boas” – a segunda faixa do disco que √© uma verdadeira chuva de positividade!




De Donna Summer a Beyoncé no Ocidente

Postado por Mais Preza em 14 de julho de 2016 - Balada, Destaque, M√ļsica
Tem festa nova chegando no Ocidente (Osvaldo Aranha, 960)! A primeira edição da Ocidente Classics rola nesta sexta (e segue se repetindo em toda a terceira sexta do mês), a partir das 22h, no tradicional espaço de Porto Alegre. A ideia é criar um grande mosaico sonoro, juntando antigo e atual, desde um som mais old school até os timbres sintetizados. Os ingressos custam R$ 10 até as 23h, R$ 20 até a meia-noite e depois ficam por R$ 30.
Pra fazer esse resgate, os DJs Guto Haya e Souq v√£o mesclar os artistas que marcaram a hist√≥ria do bar com os novos nomes do pop: de Donna Summer a Beyonc√©, ¬†de Black Box a David Guetta, de Haddaway a The Weeknd, e por a√≠ vai. ¬†Cada faixa vai ser pensada especialmente pra criar aquela vibe √ļnica do Ocidente. Bora?



“Justo Eu”: Obras do Fagundera e um bom caf√©

Postado por Mais Preza em 13 de julho de 2016 - Arte, Destaque

Nesta sexta-feira, a arte invade o Piccolino Caf√© (F√©lix da Cunha, 1155), em Porto Alegre, com a abertura da exposi√ß√£o do Lucas Fagundes, o Fagundera. Por l√°, poder√£o ser conferidos desenhos que retratam um pouco da vida do artista, com diversos momentos dif√≠ceis, de for√ßa e de supera√ß√£o aparecendo nas obras que comp√Ķem o projeto “Justo Eu”.

Utilizando a arte pra se expressar, Fagundera encara essas situa√ß√Ķes mais adversas, digamos assim, como oportunidade de aprendizado e crescimento. “Hoje desfruto de conquistas das quais n√£o me julgo merecedor, e me pego pensando: por que eu? Justo eu! Sei que ainda muitas tempestades ser√£o por mim enfrentadas, e que muitas delas, de t√£o fortes, me causar√£o algum dano. Problema nenhum! Continuarei fazendo delas professores que me ensinar√£o ser cada vez melhor”, comenta ele, dando uma verdadeira aula de otimismo pra todo mundo.

Pra conhecer melhor o trabalho do Fagundeira, basta se programar: a exposi√ß√£o “Justo Eu” fica em cartaz at√© 15 de agosto. O Piccolino Caf√© fica aberto de segunda a s√°bado das 8h30 √†s 21h e aos domingos das 9h √†s 21h. Bora tomar um caf√© e ver as obras de pertinho? ;)




Valeu, Live Aid!

Postado por Mais Preza em 12 de julho de 2016 - Arte, Destaque, M√ļsica

Talvez você já sabia, mas vamos lembrar: a história da criação do Dia Mundial do Rock começa em 1985. E tudo graças ao Phil Collins, que queria fazer uma homenagem ao megaconcerto Live Aid, que aconteceu exatamente no dia 13 de julho daquele ano. Pesos pesados como Elton John, The Who, Queen, Sting, Dire Straits, David Gilmour, Black Sabbath, Duran Duran, Eric Clapton, Mick Jagger, Madonna e muitos, muitos mais estiveram por lá Рe rolou até a mítica reunião do Led Zeppelin.

No palco do Live Aid, h√° 31 anos

Inicialmente, eles se reuniram para arrecadar fundos pra acabar com a fome na Eti√≥pia. E esse n√£o foi o primeiro esfor√ßo na causa por parte dos m√ļsicos: o single “Do They Know It¬īs Christmas?”, lan√ßado no projeto Band Aid em 1984, tamb√©m reuniu quase quarenta artistas de renome com o mesmo objetivo. Gravar a m√ļsica foi ideia do irland√™s Bob Gendolf, mas ele queria fazer mais – ¬†e foi a√≠ que veio a iniciativa do show. No fim das contas, foram mais de 20 artistas se apresentando ao mesmo tempo nos Estados Unidos e na Inglaterra, com uma audi√™ncia estimada de 2 bilh√Ķes de pessoas em mais de 150 pa√≠ses.

E o que ficou de tudo isso?

Bom, passados 31 anos, a gente segue celebrando o bom e velho rocrock’n'roll a cada dia 13 de julho. Isso que, mesmo com uma segunda edi√ß√£o do Live Aid 20 anos depois do primeiro, o desejo inicial do Phil Collins¬†parece n√£o ter decolado muito – apesar de ter mundial no nome, h√° quem defenda que o Dia do Rock √© comemorado praticamente s√≥ no Brasil.

E aqui vale um parêntese: não era pra menos que a data fizesse tanto sucesso por aqui! Em 1985, muitas bandas de rock estavam surgindo no país Рé só cuidar as cuidar as turnês comemorativas que estamos vendo de nomes como Legião Urbana e Paralamas do Sucesso, pra citar apenas algumas das maiores. As rádios da época, que tanto se aproveitaram do estilo como foram plataforma de impulso pra ele, curtiram a ideia e resolveram adotar a data. Surgia, então, a ttradição (que, sim, ainda segue firme e forte).

Hoje, o rock – brasileiro, ga√ļcho, do mundo todo – √© tema de discuss√Ķes. O rock morreu? Quem √© roqueiro atualmente? O que √© rock de verdade? O rock vive? De fato, essas s√£o respostas dif√≠ceis de responder e que tendem a entrar em conflito com os gostos e as cren√ßas de cada um. ¬†

O que se pode afirmar, em pleno 2016, √© que o rock ganhou infinitos subg√™neros ao longo de sua hist√≥ria e que ainda tem f√£s extremamente fi√©is em qualquer canto do mundo. Mas tamb√©m √© poss√≠vel garantir que o rock vive e revive a cada 13 de julho, bem como um anivers√°rio. √Č nesse dia que os mais jovens e os j√° nem t√£o jovens assim se unem para celebrar (e compartilhar nas redes sociais, n√£o √© mesmo?) o estilo.

E esse √© o grande legado do Live Aid: estabelecer um dia – nem que seja o √ļnico pra muita gente – pra lembrar e celebrar o rock’n'roll. O novo e o velho. O vivo e o “morto”. O Dia do Rock, mundial ou brasileiro, √© o dia de todos eles. √Č, assim, um pretexto pra colocar aquela m√ļsica (o √°lbum todo ou a discografia, quem sabe?) do seu roqueiro favorito no volume m√°ximo e curtir sem pensar em mais nada ou problematizar, afinal, antes de qualquer coisa, √© um dia de m√ļsica, de festa e de boas a√ß√Ķes. Valeu, Live Aid!




Rock no Renascença

Postado por Mais Preza em 11 de julho de 2016 - Arte, Destaque, M√ļsica, Show

O Dia Mundial do Rock √© nesta quarta, mas as comemora√ß√Ķes j√° come√ßam na ter√ßa: no Teatro Renascen√ßa (Erico Verissimo, 307), em Porto Alegre, tem Rep√ļblica do Rock! O evento contar√° com a presen√ßa pra l√° de especial do¬†Julio Reny, que vai subir ao palco √†s 21h com seus Irish Boys, num show que promete fazer jus aos 37 anos de carreira do artista – um dos mais conceituados no cen√°rio independente da cidade.

Foto: André Furtado / Facebook / Reprodução / CP

Ali√°s, vale destacar que, antes de ir pro Renascen√ßa,¬†o Julio vai estar na Biblioteca Municipal (Riachuelo, 1190) participando de um bate-papo com o jornalista Cristiano Bastos. Ah, ele tamb√©m vai fazer um som ac√ļstico pra galera! <3

E, voltando pra Rep√ļblica do Rock, a¬†Alpargatos abre os trabalhos da Rep√ļblica do Rock, √†s 20h. Festejando um ano do lan√ßamento do primeiro EP, os guris v√£o ter a companhia de Marcos Brasil e Ruan Luiz, da¬†Am√©llian, nos metais.¬†Pro Rock Na Biblioteca n√£o precisa pegar senha, e no Renascen√ßa elas ser√£o distribu√≠das a partir das 18h30min. Bora l√°?! ;)




Shows, comidas veganas e exposição

Postado por Mais Preza em 8 de julho de 2016 - Arte, Destaque, Show

A Casa Frasca (Independência, 426), em Porto Alegre, recebe um evento bem bacana neste sábado: a partir das 17h, vai ter brechó, comida vegana e exposição de quadrinhos por lá. Os garimpos do Reino Gato, as roupas do Ventana e os desenhos do FrancisK vão marcar presença Рou seja, só coisa boa!

Olha que lindeza essa tela do FrancisK!

E ainda tem mais, já que às 18h30min começa uma série de shows: EX, Daniel Tree, R. Fernandez & as Danças de Salão e Carlos Zanettini. De quebra, ainda vão estar por lá o pessoal da Lezma Records, da Kowa Records e o Everton Luiz Cidade com tiragens físicas dos seus discos pra vender. Depois disso tudo, é a vez do Quixocou botar todo mundo pra dançar.

Ah, o ingresso custa R$ 10 e dá pra comprar antecipado online (lembrando que na hora só dá pra pagar em dinheiro). Bora? ;)

 




Linha, agulha e empoderamento

Postado por Mais Preza em 6 de julho de 2016 - Arte, Curso, Decoração, Destaque, Moda

Por Marta Karrer

Imagine um grupo de mulheres reunidas em uma sala para bordar. Entre linhas, agulhas e pontos, elas conversam abertamente sobre aborto, m√©todos contraceptivos naturais, rela√ß√Ķes amorosas e familiares conflituosas, coletores menstruais, veganismo, direitos LGBT, consumo sustent√°vel, privil√©gios e preconceitos. Pensou? Pois, ent√£o, saiba que essa √© a ess√™ncia das aulas do curso Bordado Empoderado, fundado pela Bruna Antunes.

Foto: Bruna Antunes

A freelancer/fot√≥grafa/jornalista/social media aprendeu a bordar ainda na inf√Ęncia. O ponto cruz foi ensinado pela madrinha e o bordado livre ela aprendeu depois, assistindo a av√≥ materna. Hoje, ensina as diferentes modalidades pra mulheres de todas as idades, com uma caracter√≠stica em comum: interesse e engajamento nas causas feministas.

‚ÄúO maior desafio foi a ousadia de come√ßar‚ÄĚ, conta Bruna. ‚ÄúNo fim das contas minha experi√™ncia profissional acabou sendo usada em benef√≠cio do curso, que desde o in√≠cio tratei como um dos meus clientes‚ÄĚ, explica. Parte de um grupo de ativismo feminista no Facebook desde 2014, ela sentia falta do contato presencial com essas mulheres com vis√Ķes de mundo t√£o pr√≥ximas – ou seja, o p√ļblico-alvo estava definido mesmo antes do curso existir.

Foto: Bruna Antunes

Mas foi só em 2015 que o projeto começou a tomar forma, quando uma amiga viu no Instagram algumas imagens de bordados feministas e não encontrou onde comprar. A Bruna já sabia bordar e teve a ideia: por que não ensinar as amigas, então? O resultado é que de  janeiro deste ano pra cá, mais de 100 alunas já passaram pelo curso.

As aulas acontecem nos mais variados espaços de Porto Alegre: galerias, cafés, escolas e ambientes de arte, artesanato ou humanidades. Todos os lugares devem estar alinhados com o lado político do projeto Рe a Bruna destaca que foram os estabelecimentos que procuraram o curso, e não o contrário.

E vamos combinar que se as vagas da primeira edição esgotaram em menos de 24 horas, como poderia ser diferente? Quando criou o primeiro evento no Facebook, Bruna fez uma divulgação meio tímida, com medo de que ninguém fosse se interessar Рmas os 20 nomes que ficaram na lista de espera para aquelas primeiras aulas disseram o contrário.

Já empreendendo, ela percebeu  que sair do curso com um retorno físico é algo que move a galera a participar, e essa procura intensa tem sido uma constante no Bordado Empoderado: a turma de iniciantes deste sábado na Insecta Shoes, por exemplo, já foi totalmente preenchida Рseguindo uma (já) tradição da iniciativa.

E uma dica especial: de qualquer maneira, esgotado ou n√£o, vale ficar de olho na p√°gina pra ficar por dentro das datas e correr quando uma nova turma for anunciada! ;)

Foto: Bruna Antunes

Além do curso

Pra quem é autodidata ou não pode vir à Capital fazer o curso presencialmente, a Bruna criou um kit básico com bastidor pequeno, um pedaço de etamine, uma agulha n. 24, uma meada de linha ancor, uma tesoura de arremate, um lápis B e o zine do Bordado Empoderado. O zine, aliás, foca em gráficos pequenos e fáceis em ponto cruz e ponto de contorno, perfeito para quem quer bordar on the go. O próximo deve demorar alguns meses pra sair, mas a responsável pela ideia já adiantou que vai ser com desenhos para bordado livre.

E como bordado √© muito mais que ponto cruz, o projeto tamb√©m oferece cursos de caligrafia em bordado, bordado em vestu√°rio, bordado em miniatura e ilustra√ß√£o com bordado. E todas as aulas funcionam com uma vibe bem caseira (bem como descrito l√° em cima): no come√ßo, Bruna ensina a t√©cnica, e depois as alunas ficam √† vontade pra conversar sobre as diferentes pautas do feminismo, trazendo a discuss√£o que j√° √© frequente nas redes sociais para a vida real. ‚ÄúCada turma √© completamente diferente‚ÄĚ, conta a fundadora. Tem gente que nunca botou a m√£o num artesanato na vida, e tamb√©m meninas que j√° sabem bordar e querem relembrar, e acabam ajudando as colegas. Legal, n√©?

Na pr√°tica, ‚ÄúRespeita as mina‚ÄĚ e ‚ÄúMeu corpo minhas regras‚ÄĚ s√£o algumas das frases que mais aparecem nas pe√ßas, mas tamb√©m rolam algumas mais engra√ßadinhas, tipo ‚ÄúProibido dan√ßar agarrado mas se quiser pode‚ÄĚ. Com esse esp√≠rito, as gurias que participam do curso v√£o reinventando uma arte anci√£ que tem uma imagem de retr√≥grada, machista e ainda √© muito desmerecida justamente por ser considerada ‚Äúcoisa de mulher‚ÄĚ.

Quem quiser um kit pra chamar de seu pode encomendar pela p√°gina ou pelo e-mail bordado@brunaantunes.com. Foto: Bruna Antunes

O Bordado Empoderado é feito todinho, do começo ao fim, pela Bruna. Ela que idealizou tudo, que faz a divulgação e pensa em toda a logística da coisa. Mas dessa iniciativa individual, acabou surgindo um coletivo: com as gurias da primeira turma a fazer todas as 16 horas de aula, nasceu o Nectarina РBordados Subversivos. As sete bordadeiras resolveram se unir pra fazer peças pra vender, participar de feiras e capitalizar essa arte. Mais um sucesso!

Por isso, fica aqui tamb√©m um convite e aviso de utilidade p√ļblica: elas v√£o estar pelo Vila Flores (Rua Hoffman, 447) no dia 16 de julho, no Jun√ß√£o Makers! Quem ficou com de vontade de ter alguma dessas belezinhas das fotos em casa pre-ci-sa passar por l√°. <3

 




Visitantes Online: