Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

  • 16/01/2014
  • 15:13
  • Atualização: 15:24

Livros danificados por alagamento em biblioteca da Ufrgs começam a ser congelados

Material vai ficar exposto, durante 15 dias, a uma temperatura de -25ºC para destruição de fungos

  • Comentários
  • Camila Kila/Rádio Guaíba

A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) deu início nesta quinta-feira ao congelamento de livros atingidos por um alagamento no Campus do Vale, no bairro Agronomia, em Porto Alegre, no começo do ano. O trabalho começou com um dia de atraso em razão de um problema mecânico no caminhão que trazia o contêiner de resfriamento. A técnica é considerada inédita no Brasil.

Cerca de 44% das 18 mil obras afetadas, o equivalente a 8 mil, deverão ser congeladas. Conforme a diretora de conservação e restauração da Biblioteca Central da universidade, Loreti Mattos, o material vai ficar exposto, durante 15 dias, a uma temperatura de -25ºC para destruição de fungos.

• Congelamento de livros danificados por alagamento na Ufrgs é adiado
• Livros danificados por alagamento na Ufrgs serão congelados em contêiner

Após, as obras começarão a ser retiradas para que possam ser restauradas individualmente. O custo mensal do aluguel do contêiner é de R$ 3 mil, enquanto o valor dos livros danificados é difícil de ser estimado, segundo a diretora, já que muitos são obras raras, que não são mais encontradas para venda.

Apesar do esforço para recuperação, a estimativa da Ufrgs é que cerca de 10% dos livros molhados, aproximadamente 1,8 mil, tenham sido perdidos. O alagamento ocorreu na virada do ano, na biblioteca do Instituto de Ciências Humanas e Filosofia (IFCH), localizado no Campus Vale da universidade.

Bookmark and Share