Correio do Povo

Porto Alegre, 1 de Outubro de 2014


Porto Alegre
Agora
14ºC
Amanhã
13º 20º


Faça sua Busca


Arte & Agenda > Variedades

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

08/04/2014 19:57 - Atualizado em 08/04/2014 20:30

Grandes estúdios cinematográficos processam Megaupload por pirataria

Site era famoso por compartilhamento de arquivos

Os principais estúdios de cinema dos Estados Unidos pedem ressarcimentos ao site de compartilhamento de arquivos Megaupload, fechado pelos Estados Unidos no início de 2012 como parte de uma operação contra a pirataria na internet.

Disney, 20th Century Fox, Paramount Pictures, Universal City Studios, Columbia Pictures e Warner Bros apresentaram na segunda-feira a um tribunal da Virgínia, leste dos Estados Unidos, uma ação por violação dos direitos de copyright contra o Megaupload e seu fundador Kim Dotcom.

O ressarcimento pode chegar a centenas de milhões de dólares: "Quando o Megaupload.com foi fechado em 2012 pela justiça americana era, segundo todas as estimativas, o maior e mais ativo site de pirataria de conteúdos criativos em todo o mundo", lembra Steven Fabrizio, um advogado da organização que defende os estúdios, a Motion Picture Association of America (MPAA). 

"O conteúdo pirateado no Megaupload e sites associados estava disponível em pelo menos 20 línguas, o que aponta para um público mundial. Segundo as acusações do governo, o site teve um faturamento de US$ 175 milhões de origem fraudulenta e tirou dos que possuíam os direitos autorais nos Estados Unidos mais de US$ 500 milhões", acrescentou.

Kim Dotcom e seu advogado Ira Rothken reagiram no Twitter a essas novas alegações. "Assim como o processo penal contra Megaupload, o processo da MPAA é um absurdo e não vai prosperar quando os fatos forem
examinados", escreveu Kim Dotcom. O alemão, que tem como verdadeiro Kim Schmitz, está atualmente em liberdade condicional na Nova Zelândia.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos e o FBI tentam há dois anos obter a sua extradição para que seja julgado por fraude e pirataria, acusações pelas quais pode ser condenado a até 20 anos de prisão. Enquanto isso, no ano passado, Kim lançou uma nova empresa de armazenamento de dados chamada Mega.


Bookmark and Share 

Fonte: AFP






O que você deseja fazer?


Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.