Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 14/04/2010
  • 13:17
  • Atualização: 16:25

Fortunati determina inspeção de paradas de ônibus na Capital

Família de jovem que morreu eletrocutado afirma que autoridades foram negligentes

  • Comentários
  • Luciamem Winck/Correio do Povo

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, determinou a realização de uma varredura para verificar a situação das instalações elétricas de paradas de ônibus dotadas de sistema de iluminação. Ele também fez um apelo para que a população auxilie e aponte os pontos com problemas através dos telefones 118 e 156.

Para Fortunati, a morte do jovem Valtair Jardim de Oliveira, de 21 anos, foi “lastimável”. O prefeito revelou que técnicos da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) estiveram na Estação Universidade, há alguns dias, atendendo a um chamado telefônico e nada constataram.

Cartaz alertava para choques na parada

No entanto, família de Valtair afirma que houve negligência das autoridades da Capital. O primo da vítima, Flávio Jardim, disse que uma testemunha que trabalha em frente ao local relatou que já havia comunicado a prefeitura sobre o problema. Na parada, havia um cartaz, escrito à mão, alertando às pessoas para não encostassem no corrimão.

Prefeitura e CEEE discutem sobre causas

Por meio de nota oficial, a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) relatou que técnicos acionados para desenergizar a área no final da noite de terça-feira apuraram que a morte do jovem foi causada pela energização de um poste de iluminação pública, cuja instalação e manutenção é de competência da prefeitura. “A CEEE se solidariza com a família da vítima”, diz a nota.

Já o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Romano Bottin, tem outro entendimento sobre o incidente. Segundo ele, as providências deveriam ter sido tomadas pela CEEE. Bottin ressalta que a equipe técnica da EPTC enviou comunicado à estatal e isolaram o local em 28 de março e nos dias 3 e 12 de abril, atendendo solicitações telefônicas. “Comunicamos a CEEE, que deveria ter tomado providências”, frisou. Bottin salientou que mesmo após o desligamento da rede, momentos após a morte do rapaz, a grade permaneceu energizada.

O secretário acredita que um curto-circuito decorrente do furto de cabos de alimentação possa ter ocasionado as descargas elétricas. O diretor-presidente da CEEE, Sérgio Camps de Morais, reiterou que a manutenção no poste é atribuição da prefeitura.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar responsabilidades. O caso será conduzido pelo delegado Paulo César Jardim, da 1ª DP. Segundo o delegado,testemunhas do caso já foram ouvidas e técnicos da EPTC e CEEE devem prestar depoimento à tarde.


TAGS » Choque