Correio do Povo

Porto Alegre, 1 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
14ºC
Amanhã
16º 25º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

14/04/2010 13:17 - Atualizado em 14/04/2010 16:25

Fortunati determina inspeção de paradas de ônibus na Capital

Família de jovem que morreu eletrocutado afirma que autoridades foram negligentes

Família de jovem que morreu eletrocutado afirma que autoridades foram negligentes
Crédito: Mateus Bruxel

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, determinou a realização de uma varredura para verificar a situação das instalações elétricas de paradas de ônibus dotadas de sistema de iluminação. Ele também fez um apelo para que a população auxilie e aponte os pontos com problemas através dos telefones 118 e 156.

Para Fortunati, a morte do jovem Valtair Jardim de Oliveira, de 21 anos, foi “lastimável”. O prefeito revelou que técnicos da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) estiveram na Estação Universidade, há alguns dias, atendendo a um chamado telefônico e nada constataram.

Cartaz alertava para choques na parada

No entanto, família de Valtair afirma que houve negligência das autoridades da Capital. O primo da vítima, Flávio Jardim, disse que uma testemunha que trabalha em frente ao local relatou que já havia comunicado a prefeitura sobre o problema. Na parada, havia um cartaz, escrito à mão, alertando às pessoas para não encostassem no corrimão.

Prefeitura e CEEE discutem sobre causas

Por meio de nota oficial, a Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) relatou que técnicos acionados para desenergizar a área no final da noite de terça-feira apuraram que a morte do jovem foi causada pela energização de um poste de iluminação pública, cuja instalação e manutenção é de competência da prefeitura. “A CEEE se solidariza com a família da vítima”, diz a nota.

Já o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Romano Bottin, tem outro entendimento sobre o incidente. Segundo ele, as providências deveriam ter sido tomadas pela CEEE. Bottin ressalta que a equipe técnica da EPTC enviou comunicado à estatal e isolaram o local em 28 de março e nos dias 3 e 12 de abril, atendendo solicitações telefônicas. “Comunicamos a CEEE, que deveria ter tomado providências”, frisou. Bottin salientou que mesmo após o desligamento da rede, momentos após a morte do rapaz, a grade permaneceu energizada.

O secretário acredita que um curto-circuito decorrente do furto de cabos de alimentação possa ter ocasionado as descargas elétricas. O diretor-presidente da CEEE, Sérgio Camps de Morais, reiterou que a manutenção no poste é atribuição da prefeitura.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar responsabilidades. O caso será conduzido pelo delegado Paulo César Jardim, da 1ª DP. Segundo o delegado,testemunhas do caso já foram ouvidas e técnicos da EPTC e CEEE devem prestar depoimento à tarde.

     Ouça o áudio: Titular da 1ª DP, delegado Paulo César Jardim, fala sobre o caso


Fonte: Luciamem Winck/Correio do Povo





» Tags:Choque

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.