Porto Alegre, quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

  • 01/02/2014
  • 19:52
  • Atualização: 20:05

Carris convoca funcionários, mas sindicato deve manter paralisação

Coordenador dos rodoviários relatou que decisão dos trabalhadores é manter ônibus na garagem

  • Comentários
  • Correio do Povo

Na tarde de sábado, a Companhia Carris Porto-Alegrense convocou seus trabalhadores a comparecerem ao trabalho no domingo, no horário previsto em suas escalas para operar durante o passe livre determinado pela prefeitura durante o feriado religioso. O motivo alegado pela empresa foi o atendimento à população durante as festividades de Nossa Senhora dos Navegantes, data tradicional do calendário na Capital.

O coordenador da comissão de negociação do Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre, Alceu Weber, confirmou que a decisão dos trabalhadores era de manter a paralisação no domingo. “Ao contrário do que o senso comum pensa, o passe livre tem um custo. O que se busca é o passe livre que não tenha custo para o município”, argumentou. Ele citou relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que aponta que as empresas tiveram lucro maior do que o previsto.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Julio Gamaliel, salientou que, durante a semana, caso exista um acordo entre prefeitura e empresas do ramo, os rodoviários colocariam parte da frota em operação, mas com a catraca liberada. O prefeito respondeu à proposta comentando que o município não tem condições de pagar o custo de operação diária nestes moldes. O diretor da EPTC, Vanderlei Capellari, criticou a situação: "Se a prefeitura pagar o custo diário de R$ 2 milhões durante a semana, não há problema de circular. Amanhã que é feriado, um dia importante para a população de Porto Alegre isso não serve para colocar os ônibus nas ruas".

Com um trânsito tranquilo, o movimento nas paradas de ônibus foi pequeno na tarde de sábado em comparação com os dias anteriores. Já receosos em função da greve, muitos passageiros buscaram outras alternativas de transporte - inclusive o transporte clandestino. Na avenida João Pessoa, por exemplo, a maioria dos passageiros aguardava pelo ônibus em direção a Viamão ou buscavam um lugar nos táxis-lotações.

Vans do transporte escolar, autorizadas pela prefeitura de Porto Alegre, devem começar a cicular na próxima segunda-feira com placas indicando o itinerário. O objetivo é dar uma alternativa à população afetada pelo greve dos rodoviários, que entrou em seu sexto dia neste sábado.


Bookmark and Share