Porto Alegre, segunda-feira, 24 de Novembro de 2014

  • 18/02/2014
  • 14:52
  • Atualização: 15:11

Opositor foragido se entrega à justiça durante protesto em Caracas

Leopoldo López discursou a partidários antes de ser escoltado até veículo da guarda

Leopoldo López estava foragido há uma semana e apareceu por volta do meio-dia na Praça Brión, no bairro opositor de Chacaito | Foto: Juan Barreto / AFP / CP

Leopoldo López estava foragido há uma semana e apareceu por volta do meio-dia na Praça Brión, no bairro opositor de Chacaito | Foto: Juan Barreto / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

O líder do partido opositor Vontade Popular e procurado pela justiça venezuelana, Leopoldo López, se entregou nesta terça-feira à Guarda Nacional Bolivariana em uma praça de Caracas. O governo o acusa da morte de três pessoas durante os protestos no país. Foragido há uma semana, ele apareceu por volta do meio-dia na Praça Brión, no bairro opositor de Chacaito. Após um breve discurso a seus partidários, ele se entregou aos agentes, que o escoltaram até um veículo da guarda.

"Apresento-me à justiça injusta, a uma justiça corrupta", declarou , vestido de branco e com uma bandeira da Venezuela, sob os aplausos de milhares de partidários. Após discursar a seus seguidores e pedir para que se retirassem da praça de forma pacífica, López dirigiu-se aos guardas nacionais com uma flor branca. Já dentro do veículo da polícia, pediu para que os manifestantes ficassem calmos. "Liberdade, liberdade!", gritavam os manifestantes. "Se a minha prisão servir para despertar um povo, para despertar definitivamente a Venezuela e para que os venezuelanos e venezuelanas que querem mudanças construam um caminho de paz e democracia, valerá a pena", insistiu.

López, um jovem economista formado em Harvard e proibido pela justiça de exercer cargos públicos, afirmou que nunca deixará a Venezuela e pediu por uma "saída pacífica deste desastre", em um país que vive uma grave crise econômica, com uma inflação de 56,3% e uma severa falta de alimentos e produtos de primeira necessidade. A justiça venezuelana emitiu uma ordem de prisão contra López, acusando-o de ser responsável pela morte de três manifestantes na quarta-feira passada durante confrontos entre opositores e a polícia.

Bookmark and Share