Porto Alegre, quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

  • 04/03/2014
  • 22:17
  • Atualização: 22:25

Em meio a protestos, Venezuela lembra um ano da morte de Chávez

Governo prepara grande desfile militar e estreia de documentário sobre o líder

Em meio a protestos, Venezuela lembra um ano da morte de Chávez | Foto: AFP

Em meio a protestos, Venezuela lembra um ano da morte de Chávez | Foto: AFP

  • Comentários
  • AFP

Em meio a protestos que já duram mais de um mês, a Venezuela lembrará nesta quarta-feira o primeiro aniversário da morte de Hugo Chávez. O governo vai promover um desfile que incluirá demonstração dos armamentos modernos do exército e uma cerimônia no quartel onde jaz o líder carismático.

Um ano após a morte do Comandante Supremo, vítima de câncer aos 58 anos, a figura, o rosto ou os olhos pintados do líder acompanham os venezuelanos em ruas, prédios públicos e cartazes, em cada canto do país. Há semanas, o governo venezuelano antecipa o comparecimento em Caracas de vários chefes de Estado e governo com os quais Chávez fechou alianças baseadas em afinidades ideológicas de um discurso anti-imperialista, apoiado pela diplomacia do petróleo.

Apesar disso, a administração de Nicolás Maduro não divulgou uma lista oficial. Em meio aos 18 mortos, centenas de feridos e às  denúncias de violações dos direitos humanos, o governo tomou uma postura mais discreta. Apenas o líder sandinista nicaragüense, Daniel Ortega, e o presidente boliviano, Evo Morales, confirmaram presença.

O caixão com o corpo de Chavez fica no Quartel da Montanha, instalação militar de cuja esplanada se tem uma visão panorâmica de Caracas, principalmente do Palácio presidencial de Miraflores. Uma guarda de honra permanece ao redor do caixão, juntamente com grandes fotografias do líder, infografias sobre sua vida, e gravações de Chávez cantando o hino nacional.

As cerimônias de amanhã começarão com um desfile militar no setor oeste de Caracas, no qual o governo deverá aproveitar para exibir seu moderno equipamento militar, remodelado a um custo de milhões de petrodólares. Além de caças Sukhoi e unidades navais, a Venezuela comprou blindados T-72, helicópteros de transporte militar e de combate, e sistemas de mísseis, entre eles os Pechora, com rampas de lançamento móvel.

Além do desfile e da cerimônia, haverá outro ponto alto da data, como a estreia mundial do documentário "Mi Amigo Hugo", dirigido pelo americano Oliver Stone, que será exibido pela rede de TV Telesur. O filme, de 50 minutos, reúne depoimentos de familiares, amigos, intelectuais e políticos. "Espero que essas entrevistas, juntas, deem uma ideia do amor, do tamanho da falta que ele faz para seu povo", disse Stone em entrevista à Telesur.


Bookmark and Share