Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 12/03/2014
  • 07:59
  • Atualização: 08:04

Dezenas são detidos em protestos pela morte de jovem na Turquia

Adolescente de 15 anos foi ferido pela polícia em junho de 2013

  • Comentários
  • AFP

Mais de 150 pessoas foram detidas nessa terça-feira durante violentas manifestações em várias cidades turcas para denunciar a morte de um jovem de 15 anos, gravemente ferido pela polícia em junho de 2013.

Vinte manifestantes ficaram feridos em confrontos com as forças de segurança, dois deles gravemente, quando foram atropelados por veículos da polícia em Mersin (sul) e Istambul, segundo a agência Dogan. Um policial ficou ferido em Istambul.

Milhares de manifestantes se reuniram de forma espontânea na terça-feira em várias cidades do país depois da morte, durante a manhã, de Berkin Elvan, que estava em coma há 269 dias. O jovem foi gravemente ferido na cabeça por uma bomba de gás lacrimogêneo durante os protestos contra o governo em junho de 2013.

Berkin Elvan é a vítima mais recente da repressão das manifestações iniciadas na praça Gezi de Istambul. A morte elevou a sete o número de manifestantes falecidos durante os eventos que deixaram mais de 8.000 feridos. Um policial também morreu nos protestos. A família de Berkin afirmou ter visto o adolescente pela última vez em 16 de junho, quando ele saiu do apartamento de um bairro operário no centro de Istambul para comprar pão.

De acordo com testemunhas, o jovem foi atingido por uma bomba de gás lacrimogêneo utilizada pela polícia durante as manifestações contra a "guinada autoritária" e "islamita" do governo do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, no poder desde 2002.

O funeral do jovem acontecerá nesta quarta-feira em Istambul e milhares de pessoas são esperadas, o que pode transformar o evento, segundo analistas, em uma grande mobilização contra o governo.

Tudo isto acontece a menos de três semanas das eleições municipais de 30 de março, no momento em que o governo de Erdogan enfrenta um escândalo de corrupção sem precedentes.

Bookmark and Share