Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 26/03/2014
  • 08:25
  • Atualização: 11:48

Profissionais da saúde paralisam por 48 horas em Porto Alegre

São atendidos apenas casos graves no Hospital de Pronto Socorro e Presidente Vargas

Profissionais da saúde paralisam por 48 horas em Porto Alegre  | Foto: André Avila

Profissionais da saúde paralisam por 48 horas em Porto Alegre | Foto: André Avila

  • Comentários
  • Dico Reis / Rádio Guaíba

Os servidores municipais do Hospital de Pronto Socorro (HPS) e do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas (HMIPV), além dos Pronto Atendimentos dos bairros Bom Jesus, Cruzeiro do Sul e Lomba do Pinheiro em Porto Alegre, deflagraram uma paralisação de 48 horas nesta quarta-feira. 

O atendimento é mantido pelo número mínimo de servidores que a lei exige durante greve, mas só são recebidos casos graves. Consultas terão que ser reagendadas. 

De acordo com a diretora do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre, Carmen Padilha, os principais pontos de reivindicação são o pagamento de insalubridade em grau máximo e igual a todos os servidores da saúde, que hoje têm escalonamento; a contratação de novos servidores via concurso público; e nomeação de aprovados para cobrir as deficiências. A diretora cita o HPS, onde há uma defasagem de 240 profissionais. Outra preocupação é com a substituição dos auxiliares de enfermagem por técnicos em enfermagem, exigência legal, já que a primeira categoria foi extinta.

Bookmark and Share


TAGS » Saúde, Geral