Porto Alegre, sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

  • 26/03/2014
  • 18:52
  • Atualização: 19:07

Votação do Parque Gasômetro é adiada por falta de quórum

Vereadores não chegaram a um entendimento sobre emenda que proibia estacionamento

Votação do Parque Gasômetro é adiada por falta de quórum | Foto: Leonardo Contursi / CMPA / CP

Votação do Parque Gasômetro é adiada por falta de quórum | Foto: Leonardo Contursi / CMPA / CP

  • Comentários
  • Tiago Medina / Correio do Povo

A apreciação do projeto de criação do Parque Gasômetro foi adiada. Após desentendimentos quanto à votação da emenda que autorizaria estacionamento na Praça Júlio Mesquita, os vereadores retiraram o quórum, forçando o encerramento da sessão, depois de uma espera de mais de quatro horas para que a matéria entrasse em pauta.

A vereadora Sofia Cavedon (PT) chegou a requerir o adiamento da votação, para que a matéria fosse analisada em uma sessão extraordinária à noite. Porém, o pedido não foi aceito pelos demais parlamentares.

No momento da votação da primeira emenda, houve uma confusão. A votação ocorreu por três vezes. Na primeira, a emenda foi aprovada, mas uma falha na votação do vereador Mauro Pinheiro fez com que a análise tivesse que ser refeita. Na segunda vez, um erro no número da emenda forçou a terceira votação, na qual alguns dos vereadores não confirmaram presença, ainda que estivessem no plenário, forçando a falta de quórum e o consequente encerramento da sessão.

O projeto

O projeto de lei propõe a instituição do Parque do Gasômetro, cuja criação está prevista no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental. O espaço ficará dividido em duas áreas. A primeira compreende o Museu do Trabalho e seu entorno, a praça Brigadeiro Sampaio, junto à rua dos Andradas, a avenida Siqueira Campos, a rua General Portinho e a avenida Presidente João Goulart. Na outra, na região da praça Júlio Mesquita, o alcance chega à avenida Siqueira Campos, rua Vasco Alves, rua Washington Luiz, avenida Presidente João Goulart, general Salustiano e avenida Loureiro da Silva.

Durante audiência realizada da apreciação desta quarta-feira, ambientalistas e moradores voltaram a defender a necessidade de que a proposta inclua o rebaixamento da pista da avenida Presidente João Goulart, a fim de garantir a segurança dos frequentadores do futuro Parque. No entanto, a proposta de emenda foi rejeitada pelos vereadores.

De acordo com o vice-prefeito Sebastião Melo, os governos municipal e estadual estão ainda em tratativas para que uma área pertencente à Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) seja incluída à área física do Parque. O acordo com o governo do Estado, segundo Melo, se daria pela permuta de imóveis do Município. A antiga usina de gás, imóvel tombado e que atualmente está sendo ocupado pelo Departamento Esgotos Pluviais (DEP), também deverá ser integrado à área prevista para o novo Parque.

Bookmark and Share