Porto Alegre, segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

  • 29/03/2014
  • 10:47
  • Atualização: 14:03

Justiça manda libertar suspeito de matar publicitário

Delegada responsável pelo caso diz manter convicção na participação de homem no crime

  • Comentários
  • Correio do Povo

Por falta de provas e com um vídeo apresentado como álibi, a Justiça mandou soltar o suspeito, apenado do semiaberto, do assassinato do publicitário Lairson Kunzler, em 24 de fevereiro, na zona Sul de Porto Alegre. O Ministério Público solicitou que o inquérito seja devolvido à 6ª DP da Capital para prosseguir as investigações. Kunzler foi morto a tiros na portaria do condomínio onde morava.

Responsável pela prisão do suspeito no caso Kunzler, a delegada Áurea Regina Hoeppel, da 6ª DP de Porto Alegre, respeita a decisão judicial de soltá-lo, mas permanece convicta do seu envolvimento. “Temos uma testemunha que o reconheceu, mas ela não quer se identificar”, ressaltou a policial. O vídeo em que o suspeito aparece trabalhando, álibi apresentado por seu advogado, será periciado.

Cumprindo pena no semiaberto, o suspeito tinha autorização para sair às 8h e voltar às 21h30min. Ele pertence a uma quadrilha responsável por ataques a clientes de bancos na região do bairro Moinhos de Vento, onde Kunzler sacou dinheiro que foi levado pelo grupo durante o assalto que culminou na sua morte. O criminoso, em 2007, foi condenado pela morte do advogado tributarista Geraldo Diehl Xavier, também vítima de latrocínio. Ele foi atacado logo após deixar uma agência bancária no bairro Bela Vista, depois de sacar quase R$ 100 mil.

Bookmark and Share