Correio do Povo

Porto Alegre, 30 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
14º 21º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

04/04/2014 13:16 - Atualizado em 04/04/2014 13:17

Servidores da CEEE decidem permanecer em greve

Trabalhadores seguiram até a Padre Cacique e realizaram protesto contra a realização da Copa do Mundo

Manifestantes cantaram a música “Copa no Escuro” na frente do estádio Beira-Rio, onde permaneceram por cerca de meia hora<br /><b>Crédito: </b> Mauro Schaefer
Manifestantes cantaram a música “Copa no Escuro” na frente do estádio Beira-Rio, onde permaneceram por cerca de meia hora
Crédito: Mauro Schaefer
Manifestantes cantaram a música “Copa no Escuro” na frente do estádio Beira-Rio, onde permaneceram por cerca de meia hora
Crédito: Mauro Schaefer

Os servidores da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) decidiram permanecer em greve por tempo indeterminado. Em assembleia realizada na manhã nesta sexta-feira no pátio da empresa, na rua Joaquim Porto Villanova, a categoria rejeitou a proposta da companhia que previa o pagamento de 5,38% de reajuste salarial em parcela única e o aumento de R$ 5,00 no vale-alimentação - que passaria de R$ 845,00 para R$ 850,00. Com relação ao pagamento do Programa de Participação dos Resultados (PPR), a companhia não apresentou nenhuma proposta aos funcionários. A greve dos eletricitários completou ontem cinco dias.

Logo após a assembleia, cerca de 300 trabalhadores seguiram de ônibus até a avenida Padre Cacique onde realizaram um protesto contra a realização da Copa do Mundo. Os manifestantes cantaram a música “Copa no Escuro” na frente do estádio Beira-Rio, onde permaneceram por cerca de meia hora. A manifestação deixou o trânsito lento na região porque os servidores trancaram as duas faixas da via.

Por ser um serviço essencial, o Sindicato dos Eletricitários do Rio Grande do Sul (Senergisul), informou que estão sendo mantidos 30% no atendimento aos clientes e dos serviços de emergência. O presidente do Sindicato, Danilo Garcia, destacou que a greve é o resultado de um longo processo de desvalorização dos funcionários. Ele citou, por exemplo, que no ano passado não houve o pagamento do PPR.

A CEEE conta com 4,5 mil funcionários, dois mil atuam na área operacional. Além disso, possui 1,6 milhão de clientes que são atendidos em 72 municípios gaúchos.

Bookmark and Share


Fonte: Claudio Isaías / Correio do Povo





» Tags:Greve Protesto CEEE

O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.