Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 09/04/2014
  • 10:56
  • Atualização: 12:27

Estudantes protestam contra aumento de tarifa de ônibus

Alunos do colégio Júlio de Castilhos fizeram caminhada pelas ruas da Capital

  • Comentários
  • Karina Reif / Correio do Povo

Estudantes da maior escola pública de Porto Alegre, o Colégio Estadual Júlio de Castilhos, protestaram na manhã desta quarta-feira contra o aumento da tarifa de ônibus em Porto Alegre. O ato foi convocado pelo Grêmio Estudantil via rede social. Cerca de 300 alunos fizeram uma caminhada pelas ruas centrais da Capital até o Paço Municipal, onde fica a sede da Prefeitura.

O grupo trancou vias ao longo do percurso, como a avenida João Pessoa. O protesto complicou o trânsito pouco antes do meio-dia e causou congestionamento. Os alunos do Julinho receberam apoio de estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e de outras instituições públicas de ensino.

Eles se uniram a um grupo do Bloco de Luta pelo Transporte Público acampado em frente à prefeitura desde terça-feira. A pauta de reivindicação pela barateamento do transporte e melhoria dos coletivos é comum. “Viemos somar e tentar barrar o aumento”, disse a coordenadora do Grêmio do Julinho, Marcela Souza Pellin, 17 anos. Ela disse que a entidade estudantil fez uma pesquisa em 2012 e constatou que 50% da evasão escolar na região Metropolitana era causada pela dificuldade de transporte. Na escola, assegura que o índice é semelhante. “Normalmente, iniciamos o ano com 3 mil alunos e terminados com 1,5 mil”, disse. Ela ainda lembrou a precariedade do sistema. “Faltam ônibus, linhas e é muito demorado, mesmo sendo caro”, avaliou.

Os estudantes permaneceram em frente ao Paço Municipal gritando palavras de ordem e tocando instrumentos. Ao lado, ainda estavam instaladas as barracas montadas pelo Bloco de Luta que colhe assinaturas para o encaminhamento de um projeto de lei municipal para tornar o transporte 100% público em Porto Alegre. O estudante da Ufrgs Vinícius Eckert, 22 anos, integrante do Movimento Coletivo Vamos à Luta, disse que a prefeitura não tem sido receptiva para receber a pauta de movimentos populares. Ele também participou da manifestação.

A passagem de ônibus está R$ 0,15 mais cara desde segunda-feira. A tarifa dos coletivos e lotações sofreu reajuste de 5,66%, passando a custar R$ 2,95 e R$ 4,40 respectivamente. O aumento impactou no valor da integração (cartões SIM e TRI) entre os coletivos da Capital e o metrô, que passou de R$ 4,05 para R$ 4,19. O desconto tarifário continua sendo de aproximadamente 10% com o uso dos cartões de bilhetagem eletrônica. A tarifa sem o benefício fica em R$ 4,65. Já a integração ônibus-metrô-ônibus entre Porto Alegre e Canoas aumentou de R$ 6,02 para R$ 6,16. O desconto é de 15%. A integração tripla se dá pelos cartões SIM ou TRI.


Bookmark and Share