Correio do Povo

Porto Alegre, 2 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
15ºC
Amanhã
14º 22º


Faça sua Busca


Notícias > Geral > Saúde

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

10/04/2014 16:41 - Atualizado em 10/04/2014 16:48

Encerrada a greve dos funcionários do Grupo Hospitalar Conceição

Servidores estavam paralisados há duas semanas

Categoria aceitou o acordo proposto pela direção em mediação no Tribunal Regional do Trabalho<br /><b>Crédito: </b>  Tarsila Pereira / CP memória
Categoria aceitou o acordo proposto pela direção em mediação no Tribunal Regional do Trabalho
Crédito: Tarsila Pereira / CP memória
Categoria aceitou o acordo proposto pela direção em mediação no Tribunal Regional do Trabalho
Crédito: Tarsila Pereira / CP memória

Trabalhadores do Grupo Hospitalar Conceição decidiram, em assembleia realizada na tarde desta quinta-feira, encerrar a paralisação que já durava duas semanas na Capital. A categoria aceitou o acordo proposto pela direção em mediação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) na última terça-feira. Agora, deve ser constituída uma mesa de negociação entre o GHC e o sindicato dos servidores para tratar de pautas como aumento real do vale alimentação, revisão da restrição ao refeitório, regulação das demissões e criação de um plano de saúde.

O acordo prevê que os dias parados entre 27 de março a 4 de abril não serão descontados e que seja discutida uma forma de compensar as horas não trabalhadas a partir do dia 5.

O presidente do Sindicato dos Profissionais de Enfermagem, Técnicos, Duchistas, Massagistas e Empregados em Hospitais e Casas de Saúde do Rio Grande do Sul (Sindisaúde-RS), Arlindo Ritter, fala que os funcionários retornarão ao trabalho de imediato. Segundo ele, a negociação com a direção deve ser finalizada até julho, para que o reajuste proposto seja incluído no Orçamento do próximo ano da União.

Ritter frisou, ainda, que a população não chegou a ficar desassistida durante a paralisação, que envolveu 14 categorias, exceto médicos e dentistas. Conforme o GHC, porém, mais de 550 cirurgias eletivas foram canceladas devido à falta de pessoal. O presidente sindical insiste que o problema já ocorria antes da greve, por causa da falta de materiais.

O grupo compreende os hospitais Nossa Senhora da Conceição, Criança Conceição, Fêmina e Cristo Redentor, além da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Moacyr Scliar e 12 postos de saúde básica.

Servidores do Clínicas recebem proposta
Funcionários do Hospital de Clínicas, que fizeram paralisação de três dias no começo da semana, vão avaliar, em assembleia nesta sexta-feira, a proposta feita pelo sindicato patronal. Conforme Ritter, foi mantida a oferta de aumento real de 3%, parcelado em duas vezes, até janeiro de 2015. A categoria pedia reajuste de 4% retroativo. Também devem participar da reunião servidores de outros hospitais, como São Lucas da PUC e Ernesto Dornelles, já que a pauta envolve a convenção coletiva dos trabalhadores da saúde.

Saiba mais

Funcionários do GHC avaliam deflagrar greve no dia 27
• Trabalhadores do GHC deflagram greve por tempo indeterminado
Sindicato garante que atendimento é normal apesar de greve no GHC
Grevistas do GHC aceitam manter 80% do efetivo em áreas de emergência
Grevistas do GHC protestam e bloqueam vias da zona Norte


Bookmark and Share


Fonte: Camila Kila / Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.