Porto Alegre, terça-feira, 21 de Outubro de 2014

  • 21/04/2014
  • 10:15
  • Atualização: 10:19

Parlamento sírio anuncia eleição presidencial em 3 de junho

Bashar al-Assad declarou em janeiro que existiam "muitas possibilidades" de nova candidatura

Presidente do parlamento sírio, Mohamad al-Laham, anunciou eleições para 3 de julho | Foto: Sana / AFP / CP

Presidente do parlamento sírio, Mohamad al-Laham, anunciou eleições para 3 de julho | Foto: Sana / AFP / CP

  • Comentários
  • AFP

Foi anunciado nesta segunda-feira pelo presidente do parlamento sírio, Mohamad al-Laham, que as eleições presidenciais do país acontecerá no dia 3 de julho. "Determino a data da eleição de um presidente para a República Árabe da Síria (...) para os cidadãos que vivem na Síria para terça-feira, 3 de junho", anunciou al-Laham durante uma sessão solene do Parlamento.

A apresentação de candidaturas acontecerá de 22 de abril até 1 de maio. A eleição acontecerá em plena guerra na Síria, iniciada em março de 2011 e que já provocou mais de 150.000 mortes. Além disso, 2,5 milhões de sírios fugiram do país e 6,5 milhões foram obrigados a deslocar-se dentro das fronteiras. Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), durante a sessão foram registrados três disparos de morteiro que deixaram dois mortos e vários feridos perto do Parlamento. 

Os candidatos 

Até agora, Bashar al-Assad, assim como seu pai Hafez, havia sido eleito por referendo. O atual presidente, como candidato único, foi eleito por referendo com 97,29% dos votos e reeleito, em 2007, com 97,62% dos votos. A nova Constituição aprovada em 2012 permite pela primeira vez que vários candidatos disputem a eleição. Mas na realidade, as condições exigidas limitam consideravelmente o número de candidatos.

Segundo as cláusulas aprovadas pelo Parlamento em 14 de março, o futuro presidente deve ter vivido na Síria de forma contínua durante os últimos 10 anos. O candidato também precisa obter o apoio de pelo menos 35 deputados dos 250 do Parlamento.

As exigências tornam praticamente impossível a candidatura de um opositor exilado e é pouco provável que um opositor dentro do país se candidate. Bashar al-Asad, que ainda não anunciou oficialmente a candidatura, declarou em janeiro que existiam "muitas possibilidades" de disputar novamente.

Bookmark and Share


TAGS » Síria, Eleições