Porto Alegre, quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

  • 14/05/2014
  • 16:00
  • Atualização: 16:11

Servidores municipais de São Leopoldo paralisam as atividades

Trabalhadores defendem um reajuste maior do que os 5,6% proposto pelo Executivo

Alguns municipários estão acampados em frente à Prefeitura | Foto: Stephany Sander

Alguns municipários estão acampados em frente à Prefeitura | Foto: Stephany Sander

  • Comentários
  • Stephany Sander / Correio do Povo

Os servidores municipais de São Leopoldo, no Vale do Sinos, realizam um dia paralisação nesta quarta-feira. No período da manhã os protestos ocorreram no pátio do Hospital Centenário e agora à tarde os manifestantes foram para a frente da Prefeitura onde alguns municipários estão acampados. Os trabalhadores defendem um reajuste maior do que os 5,6% proposto pelo Executivo que ainda oferece a reposição da inflação e 1% de aumento real. Entre os setores paralisados estão as escolas municipais e as unidades Básicas de Saúde.

No horário do almoço, os sindicatos promoveram a venda de cachorros-quente com o custo de R$ 1. A ideia é simbolizar o reajuste oferecido no vale-refeição para os trabalhadores. Com isso, passaria de R$ 17 para R$ 18. Além do reajuste salarial e no vale-refeição, o Executivo sugere a criação de uma mesa permanente de negociação.

Conforme o presidente do Sindicato dos Professores Municipais de São Leopoldo (Ceprol-Sindicato), Gilberto Sidnei dos Santos, no período da tarde haverá uma assembleia da categoria, e no início da noite todos devem ocorrer uma manifestação em frente à Câmara de Vereadores da cidade. Segundo o presidente do Sindisaúde do Vale do Sinos, Andrei Rex, a população não está desassistida pois os casos de urgência e emergência seguem sendo atendidos no Hospital Centenário.

Bookmark and Share