Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 11/06/2014
  • 11:33
  • Atualização: 15:26

Sexta fase da operação Leite Compen$ado é deflagrada no RS

Seis milhões de litros impróprios para consumo eram enviados mensalmente ao Paraná

Cerca de 6 milhões de litros de leite sem condições para consumo eram enviados mensalmente para o Paraná | Foto: Felipe Dorneles / Especial / CP

Cerca de 6 milhões de litros de leite sem condições para consumo eram enviados mensalmente para o Paraná | Foto: Felipe Dorneles / Especial / CP

  • Comentários
  • Correio do Povo

Foi deflagrada nesta quarta-feira a sexta fase da operação Leite Compen$ado em São Martinho, na região Celeiro do Estado, e em mais nove cidades gaúchas. A operação foi realizada pelo Ministério Público Estadual (MP), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Receita Estadual e Brigada Militar (BM). O alvo foi a Confepar Agroindústria Cooperativa Central, que tem matriz no Paraná e comercializa leite e derivados da marca Polli apenas no estado do Paraná. A empresa administra duas unidades clandestinas na região das Missões e em Taquaruçu do Sul, na zona de Produção do Rio Grande do Sul, onde foram feitas prisões e apreensões nesta manhã.

Pelo menos três pessoas foram presas durante a ação: uma que seria responsável pela captação no posto de resfriamento, outra da empresa de Taquaruçu do Sul que faria a distribuição do leite e um que seria o transportador. De acordo com o Ministério Público, o leite produzido no Rio Grande do Sul e comercializado no Paraná, não tem condições para consumo. Mais dois mandados de prisão devem ser cumpridos.

Cerca de 6 milhões de litros de leite eram enviados mensalmente ao estado vizinho, sendo apenas 300 mil litros declarados oficialmente, acarretando em prejuízo à Receita Federal que deixou de arrecadar em função da fraude de notas fiscais. Dos 60 laudos de análise feitos em 12 de março e 3 de abril deste ano, apenas três testes apontaram indício de água ou ureia. No entanto, a qualidade do produto não foi aprovada, atestando que leite estava em processo de deterioração. Além disso, os postos clandestinos da indústria teriam a prática de transbordo irregular de leite, não apresentando condições mínimas de higiene. Esse processo aconteceria a céu aberto, sem o mínimo de cuidado.

As dez cidades onde a operação foi deflagrada simultaneamente são: Alegria, Boa Vista do Buricá, Campina nas Missões, Coronel Barros, Crissiumal, Cruz Alta, Ijuí, São Martinho, São Valério do Sul e Taquaruçu do Sul. A operação foi coordenada pelo promotor Mauro Rockenbach, da promotoria de Justiça especializada criminal. O Mapa coletou amostras para fazer testes em laboratório.

Até agora foram

• Sete condenações
• Mais de 100 milhões de litros fraudados
• R$ 10 milhões em bens indisponíveis









*Com informações do repórter Felipe Dorneles

Bookmark and Share