Correio do Povo

Porto Alegre, 30 de Setembro de 2014


Porto Alegre
Agora
20ºC
Amanhã
14º 21º


Faça sua Busca


Notícias > Política

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

24/06/2014 20:43 - Atualizado em 24/06/2014 23:54

Presidente do PMDB confirma que Sarney não será candidato à reeleição

Valdir Raupp revelou que todos no partidos estão tristes com decisão do experiente político

Sarney não será candidato à reeleição<br /><b>Crédito: </b> Antonio Cruz / Agência Brasil / CP
Sarney não será candidato à reeleição
Crédito: Antonio Cruz / Agência Brasil / CP
Sarney não será candidato à reeleição
Crédito: Antonio Cruz / Agência Brasil / CP

A decisão do senador José Sarney (PMDB-AP) de não se candidatar à reeleição ao Senado foi comunicada por ele nesta terça-feira ao presidente nacional de seu partido, o também senador Valdir Raupp (PMDB-RO). Segundo Raupp, Sarney explicou que ele e a mulher, Marly, têm passado por vários problemas de saúde que requerem mais atenção.

“Eu conversei com ele pela manhã e ele me disse que já cumpriu a missão dele na política, pelo menos por enquanto. Falou da questão da saúde da família, da dona Marly, dele inclusive, que tem tido muitas dificuldades de saúde nos últimos tempos. Então ele está abrindo mão de disputar a candidatura ao Senado pelo estado do Amapá e o Gilvam Borges deve sair no lugar dele”, disse o presidente do PMDB.

Segundo Raupp, todos no partido estão “tristes” com a decisão de Sarney, mas acreditam que ele continuará atuando como “conselheiro” e trabalhando pelas alianças eleitorais. Sobre os boatos de que a decisão foi motivada pelo receio de derrota, Raupp disse que pesquisas feitas pelo PMDB demonstram o contrário. “Nós fizemos uma pesquisa no ano passado que apontava que ele tinha 53% [de aprovação]. Ele também aparecia em primeiro lugar como o responsável pelos grandes investimentos do governo federal no Amapá. Sinceramente, se ele fosse para a campanha, acho que ele conseguiria vencer a eleição, sim. Para quem já está consolidado, quanto mais candidatos saírem melhor”, disse.

Aliados de Sarney evitaram comentar a saída dele da vida pública, entre eles o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que não quis falar sobre o assunto com a imprensa hoje. Outros, entretanto, disseram esperar que ele reveja a decisão. “Se for real, eu espero que essa decisão possa ser revista”, disse o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho.

Ele lembrou que Sarney usou sua influência política a favor dos governos petistas e lamentou o anúncio da saída. “Aprendi a conviver com ele e aprendi a entender a importância dele para o governo, especialmente, e para o país como um todo. Para o governo a importância dele é inestimável, ele esteve ao lado da presidenta Dilma [Rousseff] nos momentos mais duros”, disse Carvalho, que se reuniu com Renan Calheiros na tarde de hoje.

Colega de partido de Sarney, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) disse que ele já vinha há muito tempo comentando com os mais próximos sobre a intenção de se aposentar. Na opinião dele, a decisão ainda pode ser revista, mas é preciso respeitá-la diante dos problemas de saúde que a esposa de Sarney tem apresentado e da idade do ex-presidente da República, que tem 84 anos. “O Sarney é um homem público que marcou a história da política brasileira. Com a sua idade, mas do alto de sua experiência política, ele é de uma lucidez. Ele ainda pode oferecer ao PMDB e ao país muito trabalho”, disse.

José Sarney foi o primeiro presidente da República civil após o regime militar. Ele assumiu o cargo na condição de vice após a morte de Tancredo Neves, em 1985. O senador é considerado pelos aliados como peça fundamental na redemocratização do país, mas também criticado pela má condução da economia durante seu governo e pelo fraco desempenho na área social. Foi presidente do Senado quatro vezes e tem 59 anos de vida pública.

Bookmark and Share

Fonte: Agência Brasil






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.