Correio do Povo

Porto Alegre, 23 de Julho de 2014


Porto Alegre
Agora
16ºC
Amanhã
15º


Faça sua Busca


Notícias > Geral

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

27/06/2014 18:55 - Atualizado em 27/06/2014 19:09

Ao menos seis municípios decretaram emergência no RS

Até o final da tarde foram contabilizados 52 municípios afetados e 4,6 mil pessoas atingidas

Porto Mauá teve 50% do comércio danificado<br /><b>Crédito: </b> Felipe Dorneles/Especial CP
Porto Mauá teve 50% do comércio danificado
Crédito: Felipe Dorneles/Especial CP
Porto Mauá teve 50% do comércio danificado
Crédito: Felipe Dorneles/Especial CP

Devido aos estragos registrados pela chuva em 52 cidades gaúchas desde o começo da semana, pelo menos seis já decretaram situação de emergência e uma, estado de calamidade pública. Os prefeitos de Barão do Cotegipe, Cruzaltense, Herval Grande, Porto Mauá, Tenente Portela e Vicente Dutra recorreram ao decreto de emergência e Iraí, a cidade mais afetada, optou pelo decreto de calamidade pública.  Conforme boletim das 18h da Defesa Civil, 1.609 pessoas foram encaminhadas para abrigos municipais e outras 3.066 vítimas desalojadas estão em casas de parentes.

• Alunos passam a noite em rio após cheia do rio Uruguai
• Cheia bloqueia ponte na divisa com Santa Catarina
• Reunião irá avaliar danos da enchente no Estado

Em Porto Mauá, o prefeito Guerino Pedro Pisoni relatou prejuízos superiores a R$ 2 milhões. Cerca de 70 famílias foram retiradas de casa, conforme levantamento parcial da Defesa Civil. De acordo com o coordenador local, tente Luis Carlos Lemes, os afetados foram levados para o ginásio da cidade e igrejas. Pelo menos 50% do comércio local foi afetado pela enchente.

A luz foi cortada em praticamente todo o município, em razão da cheia. A Prefeitura ainda soma os prejuízos totais. Somente no setor agrícola, mais de R$ 1,5 milhão em perdas já foram contabilizados. Em estruturas de acessos rurais, já são mais de R$ 500 mil em prejuízos. A previsão é de que o nível do rio Uruguai suba 20 metros acima do normal ainda no fim de semana. A travessia de balsa para a Argentina segue interrompida, por tempo indeterminado.

Porto Xavier não protocolou decreto de emergência, mas também sofreu estragos. Ao menos 220 famílias tiveram de deixar suas casas e foram encaminhadas para ginásio e três colégios do município.

A prefeitura de Cruzaltense informou que Metade das lavouras de trigo, plantadas na semana passada, foram perdidas. Os acessos ao interior foram interrompidos por conta da cheia do rio Erechim.

Em Tenente Portela, pelo menos sete famílias tiveram de sair de casa. No interior, dez famílias estão desabrigadas. O levantamento parcial dos prejuízos no setor agrícola chega a R$2,5 milhões para a produção de grãos, leite e hortaliças. As aulas foram suspensas porque sete comunidades do interior estão com acessos bloqueados. Os rios Turvo e Guarita transbordaram ainda na quarta-feira.

Dos 750 quilômetros de estradas de Tenente Portela, 600 estão danificados. O prejuízo é estimado em R$ 2,5 milhões, somente em rodovias. Desde o último domingo e até o começo dessa manhã, choveu 415 mm no município.

Barão de Cotegipe, Herval Grande e Vicente Dutra já enviaram à Defesa Civil Estadual o pedido de homologação da situação de emergência.

Com informações de Samantha Klein.

Bookmark and Share

Fonte: Correio do Povo e Rádio Guaíba






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.