A obra de Rainer Maria Rilke e a memória musical de Eva Wilma

A obra de Rainer Maria Rilke e a memória musical de Eva Wilma

Espetáculos tem transmissão on-line na noite desta sexta, pelo Instagram e Youtube

Vera Pinto

Espetáculo "Rilke" resulta de dez anos de pesquisa sobre a obra de Rainer Maria Rilke

publicidade

O período de reclusão de um dos maiores escritores do século XX é o mote de “Rilke”. solo de Ivo Müller, dirigido por Arieta Corrêa, com apresentações em perfis culturais no Instagram, hoje às 20h (@editorabibliotecaazul); no dia 30, 20h (@perdidoinsampa); dia 3 de outubro, às 15h (perdidoinsampa) e 7, 20h (canaldiversaoearte). Em um mundo dominado por ruídos, o escritor busca o silêncio para tentar produzir alguma obra artística, mas só consegue escrever cartas. A peça, resultante de mais de dez anos de pesquisa sobre a obra de Rainer Maria Rilke, mostra suas reflexões sobre a solidão, a necessidade da reconexão do homem com a natureza e que caminhos seguir diante de um cenário de dúvidas e incertezas.

Nascido em Praga, em 1875, passou a assinar Rainer por influência da poeta e escritora russa Lou Andreas-Salomé – amiga de Nietzsche e discípula de Freud - de quem foi amante. Foi secretário particular do escultor Auguste Rodin, sobre quem escreveu um livro. Sua produção é uma das mais traduzidas, lidas e admiradas, em especial “Cartas a um Jovem Poeta”. Morreu em 1926, na Suíça, vítima de uma leucemia. Não há provavelmente outro autor que tenha deixado um rastro tão minucioso de sua vida como Rilke, não só em verso e prosa, mas principalmente na extensa obra epistolar: estima-se que tenha escrito cerca de onze mil cartas. “A peça conversa com o que estamos passando. Rilke se isolava para escrever, mas se comunicava muito pelas suas cartas. É o que todos têm feito via internet durante a pandemia. A solidão era importante, uma oportunidade de olhar para si mesmo, tentar se entender e sair mais forte, buscar fonte de criação. A peça também traz esperança, a arte também tem esse papel, mais uma de suas qualidades diante da atmosfera atual”, conta Müller.
 
A partir das 21h30min, Eva Wilma apresenta o musical “Casos e Canções”, pela série Teatro #EmCasaComSesc. Acompanhada pelo filho, o compositor, cantor e violonista John Herbert Jr., a atriz resgata as canções de sua adolescência e dos bem-sucedidos 66 anos de carreira, no teatro, cinema e televisão, Ela presta, ainda, homenagem ao dramaturgo Plínio Marcos (1935-99), que completaria 85 anos no próximo dia 29, com a leitura do texto "O Ator". A live se inicia com as imagens da abertura da novela “Mulheres de Areia” (1973), com a banda tocando o tema ao vivo. A transmissão será pelo Youtube @sescsp e Instagram @sescaovivo.

 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895