A Porto Alegre de Sioma Breitman no Farol Santander

A Porto Alegre de Sioma Breitman no Farol Santander

Exposição com centenas de registros do icônico fotógrafo ganha abertura oficial nesta quarta-feira, dia 19

Luciana Vicente

No hall do Farol Santander, grandes ampliações da enchente de 1941 em Porto Alegre

publicidade

Uma viagem no tempo e pela obra de Sioma Breitman é o que a exposição inédita “Sioma, o retratista de Porto Alegre”, com abertura nesta quarta-feira, dia 19, no Farol Santander (Sete de Setembro, 1028), oferece ao público. São mais de 60 anos de história em imagens da Capital gaúcha, de tipos populares, de artistas, de personalidades e empresários.  

Com curadoria de Fernando Bueno e Andrea Pires e produção da Prana Filmes, a mostra do Farol Santander se integra às comemorações dos 250 anos da capital gaúcha, completados em março deste ano.

Grandes ampliações e recursos audiovisuais que destacam a enchente de 1941 são uma introdução para o visitante começar o passeio por imagens feitas entre 1920 e 1970 e para conhecer ou rever os registros poéticos e críticos de Sioma Breitman (1903 - 1980). 

Andrea lembra que o ano de 2022 também é o centenário da chegada da família Breitman, vinda da Ucrânia, ao continente americano. Ela conta que houve a tentativa de a família viver em Buenos Aires (Argentina), depois no Rio de Janeiro, e, finalmente, em Porto Alegre. Segundo ela, a família encontrou em Porto Alegre uma cidade para morar, a qual Sioma amou e retratou. 

Os curadores tiveram acesso a mil negativos, cópias e provas assinadas do acervo da família Breitman.  A escolha foi por organizar cerca de 600 fotografias por setores temáticos, além de destacar desenhos e dois filmes feitos por Sioma. Há também um espaço de memorabilia e um laboratório fotógrafico analógico. 

Andrea ressalta que Sioma revelava o máximo de seu talento nos retratos. “Sioma era um escultor de luz e sombra. A dramaticidade que ele consegue nas fotografias, com uma única fonte de luz, é inacreditável”, enfatiza.

Bueno destaca a crônica social que Sioma registrou em fotografias feitas na Rua dos Andradas (Rua da Praia) e de artistas que se apresentavam no Theatro São Pedro. O curador lembra que toda a cidade tem um retratista:  “O Rio Grande do Sul teve Sioma Breitman, um cronista social, que tinha consciência de que estava fazendo história. Sua obra ainda não teve o reconhecimento merecido. A exposição é uma oportunidade”, pontua. 

Trajetória

Sioma Breitman acompanhou o crescimento de Porto Alegre por mais de 60 anos. Na Capital gaúcha, ele construiu uma carreira profissional sólida, que o levou a conquistar prêmios em várias exposições. No exterior, Breitman também atuou como uma espécie de embaixador do Estado, tendo levado a exposição 'Rio Grande do Sul Através da Fotografia' para países da Europa, Israel e Estados Unidos.

O fotógrafo também contribuiu diretamente com a fundação da Associação dos Fotógrafos Profissionais do Rio Grande do Sul, além de participar do Foto-Cine Clube Gaúcho. 

Visitação

A visitação pode ser feita até 24 de abril, de terças a domingos, das 10h às 19h.


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895