Começa a disputa do Carnaval de Porto Alegre 2020, no Porto Seco
capa

Começa a disputa do Carnaval de Porto Alegre 2020, no Porto Seco

Das 11 agremiações que se apresentam entre a noite de hoje e a madrugada de sábado, quatro são da Série Ouro

Por
Felipe Samuel

União da Vila do IAPI desfila às 4h05min de sábado no Porto Seco

publicidade

Sem contar com recursos da prefeitura e com retorno da categoria Bronze, o Carnaval de Porto Alegre 2020 começa nesta sexta-feira, a partir das 19h45min, com previsão de desfiles de 11 escolas. Para garantir a estrutura nos dois dias de evento, a União das Escolas de Samba de Porto Alegre (Uespa) e a União das Entidades Carnavalescas do Grupo de Acesso de Porto Alegre (UECGAPA) firmaram parceria com a Bah Entretenimento, que tem sede em Pelotas. O contrato tem duração de três anos.

A empresa foi responsável, entre outras tarefas, pela montagem da estrutura de arquibancadas e sonorização. Com custo estimado em R$ 400 mil, a Bah Entretenimento – que organiza desfiles em Uruguaiana, Cruz Alta e Pelotas – ficará com o dinheiro arrecadado com a venda de ingressos para arquibancadas, frisas (cadeiras quase ao nível da plateia) e camarotes.

A expectativa é de que 60 mil pessoas assistam às apresentações nas duas noites. A solicitação de vistoria para emissão do Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI) junto aos bombeiros foi expedida em 21 de fevereiro.

Série Ouro

A escola de samba Acadêmicos de Gravataí, que optou por não desfilar no ano passado, inicia a disputa pelo título da Série Ouro já na madrugada de sábado, à 1h45min, com o enredo “Kilombo”, que trata da resistência africana e a formação dos quilombos no Brasil.

Terceira colocada em 2019 na Série Ouro, a Império da Zona Norte presta homenagem ao ex-prefeito de Porto Alegre e ex-governador Olívio Dutra com o enredo “Galo missioneiro canta na Zona Norte”. A letra se inspirou em Sepé Tiarajú, que lutou pela coisa da terra, para fazer referência a Olívio, que, de certa forma, tem a mesma luta.

Quarta colocada em 2019, a União da Vila do IAPI se apresenta na sequência com o enredo “De azul, vermelho e branco sou a vila que vocês pediram a Deus”. Sem contar com quadra para ensaios desde 2012, a entidade carnavalesca vai comemorar 40 anos no Porto Seco. O samba-enredo aborda as mudanças de cores da agremiação, que usava verde e branco até 1983, para azul vermelho e branco. “A IAPI nunca entrou para evitar rebaixamento. Será muito difícil ganhar, pois há escolas mais bem preparadas”, afirma o presidente Silvio Marcial.

Campeã da Série Prata em 2019 e de volta à elite do Carnaval de Porto Alegre, a Império do Sol entra na passarela a partir das 5h15min. A escola encerra a primeira noite de desfiles com o enredo “A Império do Sol desafia, façam suas apostas, o jogo começou”.

A Academia de Samba Puro dá início à luta pelo título na série Prata às 21h45min, com samba-enredo em homenagem ao ídolo gremista Renato Portaluppi: “De Guaporé ao Japão, o verdadeiro rei que conquistou a Maria da Conceição – Salve Renato, multicampeão”. O presidente da Samba Puro, Marco Aurélio Souza, explica que a ideia é homenagear o artilheiro pelo título Mundial de Clubes pelo Grêmio. “Existe expectativa de que ele participe do desfile. Nada mais posso adiantar”, afirma.

Com enredo “Não tenha medo, não se avexe! Sou fidalgos, sou Nordeste, sou cabra da peste!”, Fidalgos e Aristocratas dá continuidade às apresentações e entra às 22h45min na pista. A escola quer superar o terceiro lugar de 2019.

Às 23h45min, a Copacabana – penúltima colocada em 2019 na série Prata – entra em cena com o enredo “A criação do mundo na tradição africana”. Quarta colocada no ano passado, a Realeza começa a apresentação já no sábado, à 0h45min, com o enredo “Sagrados cantos da minha encruzilhada”. 

Três agremiações desfilam hoje pela Série Bronze

A estreante Filhos de Maria abre os desfiles da série Bronze, às 19h45min, no Complexo Cultural Porto Seco. Com menos de um ano de formação, a escola tem como maior desafio a locomoção até a passarela. A escola definiu o samba-enredo “Okuta”, que representa a pedra sagrada dos orixás. “Vamos demonstrar a passagem do sincretismo até os dias de hoje, dos tempos dos escravos até a atualidade”, explica o presidente Maurício Molina Leites.

Com samba-enredo “Morro de Amores e Saudades – Protegidos 50 anos”, a Protegidos da Princesa Isabel será a segunda a se apresentar. O enredo retrata os 50 anos de história da bateria e homenageia os negros. A presidente Lana Flores garante que a entidade desenvolve projetos sociais e conta com aporte financeiro por meio da Lei de Incentivo à Cultura (LIC). “Vamos falar da bateria da escola e dos quilombos, numa forma de homenagear o negro”, justifica.

A Mocidade Independente da Lomba do Pinheiro encerra as apresentações da Série Bronze na primeira noite. Com enredo “Sou independente, sou Mocidade! Contra as intolerâncias clamo liberdade”, abordará intolerância religiosa, sexual e de raça. A escola volta a desfilar quatro anos após sua última participação no Carnaval, em 2016. O diretor de Carnaval Leonardo Trindade diz que a ideia é “levar a mensagem de que há esperança de dias melhores”.

Confira a ordem dos desfiles 

• 19h45min - Filhos de Maria
• 20h25min - Protegidos
• 21h05min - Mocidade
• 21h45min - Samba Puro
• 22h45min - Fidalgos
• 23h45min - Copacabana
• 0h45min - Realeza
• 1h45min - Acadêmicos
• 2h55min - Império
• 4h05min - Vila do IAPI
• 5h15min - Império do Sol