Criticada no Japão, Kim Kardashian desiste de chamar sua nova marca de "Kimono"
capa

Criticada no Japão, Kim Kardashian desiste de chamar sua nova marca de "Kimono"

Empresária explicou que nome da coleção era um jogo de palavras com seu nome

Por
AFP

Kim foi acusada de apropriação cultural por causa da escolha do nome "Kimono" para sua coleção de roupas

publicidade

A empresária e estrela de reality show americana Kim Kardashian anunciou, nesta segunda-feira, que desistiu de chamar sua nova linha de roupas de "Kimono", depois de provocar uma enorme polêmica nas redes sociais e de ser acusada de apropriação cultural. 

"Depois de uma reflexão cuidadosa, lançarei minha marca de roupa interior modeladora com um novo nome", disse a estrela a seus 142 milhões de seguidores no Instagram. "Sempre estou escutando, aprendendo e crescendo, por isso aprecio a paixão e as diferentes perspectivas que as pessoas me proporcionam", disse, afirmando que tinha "as melhores intenções". 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Being an entrepreneur and my own boss has been one of the most rewarding challenges I’ve been blessed with in my life. What’s made it possible for me after all of these years has been the direct line of communication with my fans and the public. I am always listening, learning and growing - I so appreciate the passion and varied perspectives that people bring to me. When I announced the name of my shapewear line, I did so with the best intentions in mind. My brands and products are built with inclusivity and diversity at their core and after careful thought and consideration, I will be launching my Solutionwear brand under a new name. I will be in touch soon. Thank you for your understanding and support always.

Uma publicação compartilhada por Kim Kardashian West (@kimkardashian) em

Jogo de palavras

A esposa do rapper Kanye West, que criou sua própria marca de cosméticos, perfumes e roupa, apresentou na semana passada no Instagram sua nova linha de roupa íntima batizada "Kimono", que, segundo explicou, era um jogo de palavras a partir de seu nome. 

Não demorou para provocar uma tempestade nas redes sociais, onde alguns usuários a acusaram de desonrar a vestimenta tradicional japonesa. Daisaku Kadokawa, o prefeito de Kioto, pediu a ela em uma carta que desistisse de usar o termo

As autoridades da antiga capital imperial do Japão também expressaram sua preocupação de "que se difunda uma má interpretação do kimono, pois a senhora Kardashian é uma poderosa influente".