Dramas, comédias e Nouvelle Vague

Dramas, comédias e Nouvelle Vague

Novidades nas plataformas vão de "O Escafandro e a Borboleta" ao brasileiro "O Fio da Memória"

Marcos Santuario

Obra-prima do diretor Julian Schnabel, ‘O Escafandro e a Borboleta’ é uma coprodução França/EUA

publicidade

Com os cinemas sem funcionar a pleno, as atenções se voltam para o que chega ao streaming nesta quinta-feira. Alguns títulos esperados pelos amantes do audiovisual ganham as plataformas digitais como a Petra Belas Artes. Uma das novidades é o sensível e genial “O Escafandro e a Borboleta”, coprodução França-EUA de 2007, com direção de Julian Schnabel, com a história do editor da Elle, Jean-Dominique Bauby, que sofre derrame e tem de viver com o corpo quase totalmente paralisado. Outra produção que entra na grade do Belas Artes éacomédia francesa “Didier, Meu Melhor Amigo”, de 1997, vencedor do Prêmio César de Melhor Filme de Diretor Estreante e com o incrível Jean-Pierre Bacri. Também chega a comédia italiana “O Pequeno Diabo” (1988), dirigida e protagonizada por Roberto Benigni. 

Da Argentina, estreia na plataforma o longa “O Homem ao Lado”, de 2009, que marca a quarta parceria entre os diretores argentinos Mariano Cohn e Gastón Duprat. A obra venceu 14 prêmios internacionais, entre eles Melhor Filme Argentino no Festival de Mar del Plata e Melhor Fotografia em Sundance.

Já a plataforma de streaming do Sesc, com o #EmCasaComSesc, apresenta a partir desta quinta-feira “Conto de Primavera”, de Éric Rohmer, marcando um ciclo de longas em homenagem aos 60 anos do movimento Nouvelle Vague e os 100 anos do cultuado diretor. Com um tom filosófico e seu pioneirismo na Nouvelle Vague, Rohmer apresenta em seu cinema uma obra que, naturalmente, permeia narrativas sobre relacionamentos amorosos e suas profundidades. Foi com este foco que Rohmer apresentou “Os Contos das Quatro Estações”, reunindo quatro longas que vão da “Primavera” ao “Inverno”. Em “Conto de Primavera” mostra a história de uma professora de Filosofia que procura um lugar para ficar enquanto seu noivo está de férias. Ela aceita o convite de uma estudante de música que conhece em uma festa, e que tem planos de aproximá-la de seu pai.

Também passa a fazer parte da plataforma nesta semana a produção “Timbuktu”, dirigida por Abderrahmane Sissako, coprodução entre França e Mauritânia. A produção foi lançada em 2014 e selecionado para a Palma de Ouro, na competição principal do Festival de Cannes do mesmo ano. A participação lhe rendeu o Prêmio do Júri Ecumênico e o Prêmio Chalais François. O drama, que revela as mudanças impostas por fundamentalistas islâmicos na cidade do título, no Mali, também foi nomeado para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, em 2015, e foi indicado ao Bafta de melhor filme em língua não inglesa. 

Fechando as novidades do #EmCasaComSesc, fica disponível o documentário “O Fio da Memória”, de Eduardo Coutinho”. Produzido no fim da década de 80 e início de 90, celebra o Centenário da Abolição da Escravatura com uma narrativa dividida em duas partes. A abordagem traz questões referentes à cultura e à identidade dos negros no imaginário brasileiro e na escravidão. O protagonista é Gabriel Joaquim dos Santos, filho de ex-escravos. Também conta com narração de Milton Gonçalves e Ferreira Gullar. Os filmes da plataforma ficam disponíveis gratuitamente no site.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895