Entre a magia do circo e o drama de Maria
capa

Entre a magia do circo e o drama de Maria

Cirque du Soleil e monólogo com Denise Weinberg são atrações nesta sexta

Denise Weinberg em "O Testamento de Maria"


publicidade

No CirqueConnect de hoje, o Cirque du Soleil irá destacar alguns dos melhores momentos de “Corteo”, “Volta” e “Totem”, em ângulos nunca vistos, de assentos na primeira fila. O especial de 1h pode ser conferido às 16h (horário de Brasília), no link cirquedusoleil.com/cirqueconnect e ficará disponível na plataforma, para quem não puder assistir. Desde que o grupo lançou o projeto, em março último, cerca de 45 milhões de fãs de todo o mundo e suas famílias tem sido contemplados com momentos de alegria, todas as sextas-feiras. 

Tecnologia de ponta se mistura à mística atemporal das artes circenses, neste programa que traz um casamento ousado e visualmente emocionante de linguagens. Entre os números apresentados estão “Tournik”, que mescla as técnicas de barras horizontais com arte do circo. Ele integra o espetáculo “Corteo”, que consiste em um desfile imaginado por um palhaço, que é exposto com sua força e fragilidade, sabedoria e bondade, para ilustrar a porção da humanidade que é dentro de cada um de nós.   “Daydreaming” traz um ciclista BMX que executa uma rotina fascinante em sua bicicleta e se envolve em um pas de deux com uma bailarina. Dentro de “Volta”, história de transformação inspirada  em parte pelo pelo espírito aventureiro que alimenta a cultura dos esportes de ação. Já “Roller Skate” de “Totem”, conta com dois patinadores girando a velocidade de parar o coração, no topo de uma pequena plataforma em forma de tambor. “Totem”  narra a jornada da espécie humana, situando-se entre a ciência e a lenda para explorar os laços que ligam o homem a outras espécies. 

Às 21h30min, na série de transmissões teatrais pelo YouTube do Sesc São Paulo e pelo Instagram do Sesc Ao Vivo, a atração é “O Testamento de Maria”, monólogo que rendeu o Prêmio APCA 2017 de Melhor Atriz a  Denise Weinberg. Na mistura das linguagens de teatro com audiovisual, a adaptação do texto de Colm Tóibin apresenta Maria, mãe de Jesus Cristo, buscando desvendar os mistérios ao redor da crucificação de seu filho. Perseguida no fim de sua vida e no exílio, ela faz questão de falar somente a verdade. Encara não só a imensa crueldade dos romanos e dos anciãos judeus, e a estranha e inexplicável exaltação dos discípulos do seu filho, como também as suas próprias angústias e hesitações. Deste modo, além de mãe, de símbolo religioso e de figura histórica, Maria se revela uma figura de enorme estatura moral, uma verdadeira e inesquecível mulher.