Estreia ‘Leituras na quarentena’ na web

Estreia ‘Leituras na quarentena’ na web

Eric Nepomuceno lança hoje, nas mídias sociais, projeto em que conta histórias e memórias

Correio do Povo

O autor e tradutor Eric Nepomuceno gravou vídeos para incentivar a leitura nos dias de isolamento.

publicidade

Os livros de importantes escritores estrangeiros que os brasileiros leem tem o trabalho de um grande tradutor: Eric Nepomuceno, responsável por traduzir para o português obras de nomes como Jorge Luis Borges, Julio Cortázar e, principalmente, Gabriel Garcia Marques, pelo qual é mais conhecido. Em isolamento social com a família há mais de um mês, ele divulga, a partir desta segunda-feira, uma série de programas que tratam de livros, autores, leitura e personagens. Os vídeos poderão ser vistos nas páginas do Instagram e Facebook e no canal do Youtube da Nepomuceno Filmes. 

O projeto “Leituras na Quarentena” é uma série de 40 programas de aproximadamente 2 minutos cada, com sugestões de livros, autoras e autores, para ajudar a enfrentar a solidão e o isolamento, com apresentações de segunda a sexta, a partir de hoje. O conteúdo inédito na internet é composto por duas séries e um curta-metragem produzido de forma totalmente independente ao longo do mês de abril. As filmagens foram feitas por meio de um aparelho de telefone celular e editados em um laptop por Felipe Nepomuceno, premiado diretor de programas de televisão e filho de Eric. 

“Ficar sozinho é uma coisa, sentir solidão é outra”, afirma Eric. Conta que adora ficar sozinho e, sempre que pode, escolhe essa situação. “Mas não ter essa escolha é, para mim, assustador: muito diferente de me isolar, é ser isolado. Ficar isolado, sem poder ver amigas e amigos de décadas e que estão logo ali, ao alcance da mão”, reflete. Pensando em maneiras de combater o vazio do isolamento, ele resolveu publicar seus projetos para promover a leitura, pois, acredita que os livros podem mudar a maneira de ver a vida e o mundo e é uma maneira de combater o vazio do isolamento.

Para a solidão, a companhia são os personagens. Nepomuceno detalha que entre suas companhias atuais estão o velho Santiago, de “O Velho e o Mar”, de Ernest Hemingway, e Lia, Lorena e Ana Clara, de “As Meninas”, de Lygia Fagundes Telles. “São companhias variadas, que varrem a minhas lembranças pelo avesso. E é graças a essas companhias que a solidão da quarentena se torna menos densa, mais suave”, pontua.

Nepomuceno, entre uma e outra dica de leitura, revela histórias de amigos escritores como Gabriel García Márquez, Cristovão Tezza e Fernando Morais. O curta-metragem “Cinco Anos de Solidão”, com estreia no dia 30 de abril no mesmo canal, retrata um casal em isolamento em uma cidade no interior do Rio de Janeiro, rodeado de árvores e livros, lidando com memórias, durante a quarentena. O filme é uma carta de amor e resistência em um tempo trágico, composto por incertezas e esperanças. 

O programa “Dias e Noites de Amor e de Guerra”, com apresentações aos sábados e domingos, a partir de 1º de maio, é um conjunto de 16 programas de aproximadamente três minutos cada, com leituras da obra de Eduardo Galeano (1940 – 2015), no ano em que o escritor uruguaio completaria 80 anos. Eric relembra: “Como disse dia desses Joaquín Sabina, um dos maiores compositores da música popular espanhola contemporânea, ler é o melhor remédio contra o medo – esse medo imenso que se espalha nestes tempos de tensão e breu”.

 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895