Exposição “Esconderijos do Tempo” celebra 29 anos da Casa de Cultura Mario Quintana
capa

Exposição “Esconderijos do Tempo” celebra 29 anos da Casa de Cultura Mario Quintana

Mostra reúne 22 fotografias inéditas de Dulce Helfer e Gilberto Perin

Por
Correio do Povo

Exposição terá abertura nesta quarta-feira

publicidade

Pelas comemorações de seus 29 anos, a Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736) apresenta a exposição “Esconderijos do Tempo”, composta por 22 fotografias inéditas de Dulce Helfer e Gilberto Perin. Os renomados profissionais retrataram os espaços e as atividades do centro cultural, além de recantos e encantos do prédio histórico. A abertura será no dia do aniversário: hoje, às 18h, no Espaço Majestic. 

Poderão ser conferidas 11 imagens de cada fotógrafo, em cor e preto e branco, com uma visão sensível e única da Casa de Cultura, destacando as muitas facetas de um espaço multicultural, turístico e emblemático para a história de Porto Alegre. O nome da mostra é uma citação do título do livro homônimo, lançado em 1980, e que rendeu ao poeta Mario Quintana o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras.

Primavera dos Museus

Na quinta-feira, a partir das 16h, o Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul inaugura sua programação em comemoração à 13ª Primavera dos Museus, em dois espaços da Mario Quintana. A intervenção de arte têxtil “Gênese”, do coletivo de artistas mulheres Tramando Arte, ocupará a cúpula do Jardim Lutzenberger (quinto andar), e “Manaslisas”, de Jorge Aguiar, a Fotogaleria Virgílio Calegari (sexto andar).

A intervenção “Gênese” dá sequência a uma série de ações artísticas efêmeras que têm transformado a outra cúpula do centro cultural em um novo espaço de relações ativas com o público, provocando, por meio das linguagens contemporâneas, um diálogo sensível com a vocação arquitetônica do lugar. O grupo Tramando Arte é formado pelas artistas Ana Nunes, Cinthia Sfoggia, Lia Braga, Lúcia Guaspari e Silvana Taquattiá. 

A “Manaslisas”, com curadoria de Eurico Salis e apresentação de Lídia Fabrício, reúne uma série de 22 fotografias, nas quais Jorge Aguiar faz uma releitura do mais famoso retrato da História da Arte, a Mona Lisa. Ele convidou as modelos destes retratos contemporâneos a pousar “emolduradas” pela realidade social da periferia onde vivem. As visitações à Casa de Cultura são de terças a sextas, das 9h às 21h, e sábados, domingos e feriados, das 12h às 21h.