Exposição reabre espaço expositivo do Azurra - Espaço Cultural e Pub

Exposição reabre espaço expositivo do Azurra - Espaço Cultural e Pub

"Decifro-te ou Me Devoras?”, reúne as obras dos artistas Ernani Chaves e Juliana Gonzalez

Correio do Povo

Obra "Acaso" de Ernani Chaves

publicidade

Com curadoria da professora do Instituto de Artes da Ufrgs, Lilian Maus e da graduanda no curdo de História da Arte do Instituto de Artes da Ufrgs, Sofia Mazzini, “Decifro-te ou Me Devoras?” marca hoje a reinauguração do espaço expositivo do Azzurra - Espaço Cultural e Pub (Benjamin Constat, 1211), em Porto Alegre. A exposição que reúne as obras de Ernani Chaves e Juliana Gonzalez pode ser conferida até 3 de dezembro, seguindo os protocolos sanitários, devido à pandemia de Covid-19. A visitação ocorre de terças a sábados, das 18h até meia-noite. 

O título subverte a famosa frase do mito da esfinge de Tebas para convidar o visitante a se indagar, aguçar os sentidos e devorar as obras com os olhos. A mostra traz pinturas em suportes tradicionais, como tela e papel, mas também reveste estátuas de gesso, cartões e papeis reaproveitados, saltando para as paredes do Azzurra e para o corpo do visitante, através de uma capa vestível bordada, que traz flagrantes de frases machistas de músicas populares. Ambos os artistas têm presente em seus trabalhos o uso ousado de cores e a tendência de brincar com ideias e teorias da arte, tornando-a lúdica e aberta a novas montagens e interpretações. 

Juliana expõe sua coleção de santas, trabalho que mexe com nosso imaginário coletivo de imagens e símbolos cristãos, mas que para artista, remete a descobertas e a relações familiares, com pinceladas de ironia e também de celebração. Já a produção de Ernani é minuciosa, tanto nas linhas como nas formas e soluções pouco ortodoxas para potenciais montagens de seus trabalhos. Ele convida o visitante a alçar o voo da imaginação através de seus pássaros, obras potentes de seu repertório e que remetem a viagens culturais que ultrapassam o suporte da pintura.

 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895