Fantasia, crítica social e máfia na telona

Fantasia, crítica social e máfia na telona

Maria Fernanda Cândido e Lázaro Ramos se destacam nas estreias hoje das salas de cinema

Marcos Santuario

Maria Fernanda Cândido, com carreira renomada dentro e fora do país, vive a bruxa Vicência Santos na produção

publicidade

O talento brasileiro se faz presente em “Animais Fantásticos”, “O Traidor” e “Medida Provisória”, três dos filmes que estreiam nesta quinta-feira, nos cinemas. Ainda que duas das produções não sejam 100% brasileiras, a presença dos atores e também de parte da produção, confere este ar seminacional às estreias. Em “Animais Fantásticos – Os Segredos de Dumbledore”, esperada sequência da franquia que nasceu do envolvente mundo de Harry Potter, o público encontra o contexto “antes” do famoso bruxo da cicatriz na testa. A série “Animais Fantásticos” se passa entre 1920 e 1945 e explica os eventos que antecedem a Primeira Guerra Bruxa. O terceiro filme da franquia é a sequência das aventuras de Newt Scamander, vivido pelo talentoso jovem Eddie Redmayne. Ele é um magizoologista que traz consigo a maleta com uma coleção de fantásticas criaturas do mundo da magia descobertas em suas viagens. São elas que, em muitas cenas, inebriam a audiência e envolvem o público em um clima onírico. Some-se a isso os demais efeitos especiais propiciados por tecnologia apaixonante e está feita a magia. O clima leva Scamander a ser convocado por Albus Dumbledore, o carismático Jude Law, na luta contra o vilão Grindelwald, encarnado pelo dinamarquês Mads Dittmann Mikkelsen, presença certa em produções de fôlego. 

Mas o nome que mais nos toca é o da atriz Maria Fernanda Cândido, com carreira renomada dentro e fora do país. Ela vive a bruxa Vicência Santos, e tem participação em várias cenas da trama. Mas sua aparição nas telonas não se restringe ao papel da bruxa no filme dirigido por David Yates. 

Maria Fernanda poderá ser vista também, a partir de hoje, em “O Traidor”, do italiano Marco Bellocchio, com cenas rodadas no Rio de Janeiro. O longa foi visto pela primeira vez no Festival de Cannes, e ganhou vários prêmios da Academia Italiana de Cinema. Na trama, no início dos anos 80, vive-se uma guerra generalizada entre os chefes da Máfia Siciliana pelo controle do tráfico de heroína. O foco do longa é Tommaso Buscetta, vivido por Pierfrancesco Favino, integrante de alto escalão, que foge e se esconde no Brasil. A partir daí, imagens mostram o confronto entre os mafiosos, as ações das polícias internacionais e as relações familiares ao redor dos personagens centrais.

E outro brasileiro que orgulha as telas a partir de hoje dirige o longa “Medida Provisória”. Trata-se de Lázaro Ramos, que reuniu Taís Araújo, Alfred Enoch e Seu Jorge, entre outros, para mostrar um futuro distópico, em que o governo brasileiro decreta medida provisória que obriga os cidadãos negros a migrarem para a África para retornarem às suas origens. Em meio aos movimentos pessoais e sociais que a medida gera, os personagens debatem questões raciais e humanas, além de compartilhar anseios que envolvem a mudança de país. O longa-metragem é adaptação de “Namíbia, Não!”, peça de Aldri Anunciação que o diretor e ator Lázaro Ramos dirigiu para o teatro em 2011. O resultado é uma obra com intensidade dramática, atualidade temática e competência cinematográfica, que estreou em festivais no Brasil e no exterior.

Cine CP apresenta estreias da semana: Animais Fantásticos 3, O Traidor e Medida Provisória:

Confira os Trailers:


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895