Banco de Livros completa dez anos com 1,5 milhão de obras arrecadadas ao longo de sua história
capa

Banco de Livros completa dez anos com 1,5 milhão de obras arrecadadas ao longo de sua história

Instituição resgata autoestima de centenas de apenados do Rio do Grande do Sul pela leitura e pela escrita

Por
Correio do Povo

Banco de Livros comemora seus dez anos hoje na Feira do Livro

publicidade

Em dez anos de existência, comemorados hoje na 65ª Feira do Livro, o Banco de Livros, instituição ligada à Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) e à Câmara Rio Grandense do Livro (CRL), resgatou a autoestima de centenas de apenados do Rio do Grande do Sul pela leitura e pela escrita. A última coletânea com textos dos detentos, o quarto volume "Vozes de um Tempo", lançada na Feira, contou com 183 obras de 169 autores que cumprem pena em presídios do Estado.

Segundo a bibliotecária Neli Miotto, o Banco de Livros abastece as bibliotecas dos presídios e capacita os agentes prisionais para o estímulo literário aos detentos. “O interesse dos apenados pelo projeto cresce. Para o quarto volume recebemos 441 textos, entre os quais foram selecionados os da publicação, nos gêneros crônica, poesia, contos e ilustrações”, explica Neli. Os exemplares de "Vozes de um Tempo" não são comercializados, mas distribuídos gratuitamente para 104 unidades prisionais gaúchas.

Participação além da leitura

O Banco de Livros faz parte da Fundação Gaúcha de Bancos Sociais da Fiergs. Em uma década, a instituição arrecadou 1,5 milhão de livros arrecadados, atendimento à 1,2 mil bibliotecas − fornecendo não apenas livros mas também mobiliário e computadores − e 99 espaços de leitura com mais de 190 mil livros em presídios no Rio Grande do Sul.

No ano passado, a instituição lançou o livro "Vozes, Pincéis e Dobras" com a obras produzidas por internos da Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase/RS). Durante o período da feira, o banco também iniciou, no Hospital Conceição, o projeto Biblioterapia, leitura para amenizar a dor no corpo.

Além dessas incursões, o Banco de Livros participou de ações de estímulo à leitura em unidades da Trensurb, do Catamarã, em rodoviária, postos de atendimento à saúde e asilos. A instituição tem um apelo permanente à população para que doe livros nos pontos de recebimento, no estande do banco durante a feira e nos estacionamentos Safe Park em Porto Alegre, Alvorada, Canoas, Caxias, Gramado, Lajeado e Passo Fundo.