Literatura de terror e fantasia é tema de debate na 65ª Feira do Livro de Porto Alegre
capa

Literatura de terror e fantasia é tema de debate na 65ª Feira do Livro de Porto Alegre

Evento ocorre no domingo com os escritores Irka Barrios, Daniel Gruber e Gustavo Melo Czekster

Por
Correio do Povo

Escritora Irka Barrios será uma das convidadas do debate neste domingo

publicidade

A 65ª Feira do Livro de Porto Alegre terá um debate sobre a literatura fantástica brasileira, neste domingo, às 14h, no Auditório Barbosa Lessa, do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (rua dos Andradas, 1223). A entrada é gratuita. 

A mesa "Adestrando Monstros" vai ter a participação dos escritores Irka Barrios, Daniel Gruber e Gustavo Melo Czekster, que vão abordar de forma específica o horror, o terror e o gótico, refletindo sobre os avançoes e desafios do gênero. 

Entre as questões que devem pautar o debate, estão as novas formas de explorar o terror na literatura e no audiovisual, com produções atualmente muito centradas na questão psicológica e na construção do personagem. Segundos os escritores, as produções do gênero tendem a se intensificar em períodos de crises sociais e políticas, por exemplo. 

Para Irka Barrios, o terror e o horror mexem com nossos medos mais profundos, alguns primitivos, que não impõem mais um perigo real. "Outra questão tem a ver com reconhecer mitos impostos ao longo dos séculos, especialmente pela igreja. A mulher, a virgindade, o sexo, o sangue menstrual, e tantas outras coisas. Tudo é fruto de proibições, de tentativas de cercear o comportamento em sociedade", disse. 
 
Um elemento presente em muitas obras que abordam o terror é a sexualidade, uma vez que o gênero era, em seus primórdios, no século XIX, uma forma de encenar as fantasias e tabus reprimidos na sociedade. Com autores como Lovecraft e Stephen King como referências, o debate vai trazer à tona essas reflexões, aplicadas tanto na literatura quanto no cinema.