Livro noir de Rafael Guimaraens na Feira

Livro noir de Rafael Guimaraens na Feira

Rafael Guimaraens apresenta seu romance policial, ambientado no ano da Exposição do Centenário da Revolução Farroupilha

Livro de Rafael Guimaraens se passa no ano da Exposição do Centenário da Revolução Farroupilha

publicidade

O livro “1935” (Libretos, 336 páginas) é a primeira incursão do escritor e jornalista Rafael Guimaraens no romance policial, no famoso estilo noir. O lançamento acontece nesta sexta, 13 de novembro, às 18h, dentro na programação da 66ª Feira do Livro de Porto Alegre. A mesa "No ar, um livro noir", tem o autor apresenta seu romance ambientado no ano de 1935, quando ocorria na Capital a Exposição do Centenário da Revolução Farroupilha. Na trama, o repórter Paulo Koetz está envolvido até o pescoço num redemoinho de mistério e paixão, enquanto a cidade se anima com a Exposição. Dyonélio Machado sonha com a revolução; Apparício Cora de Almeida investiga quem matou Waldemar Ripoll e a chanteuse francesa Juliette quer esquecer o passado. O link de transmissão do evento é https://www.youtube.com/watch?v=bsyj3_-Sn3s

A obra traz uma marcante reconstituição de ambientes, diálogos e cenas sobre disputas políticas, crimes, perseguições e atos de exploração de mulheres na cidade, no momento dominado pela exposição do Centenário da Revolução Farroupilha naquele ano, no Parque da Redenção, antecipando a tensão permanente da eclosão da segunda guerra mundial. A cidade se anima com a Exposição, Dyonélio Machado sonha com a revolução, Apparício Cora de Almeida investiga quem matou Waldemar Ripoll e a chanteuse francesa Juliette quer esquecer o passado. Envolvido até o pescoço num redemoinho de mistério e paixão, o repórter Paulo Koetz terá a oportunidade de se transformar em protagonista de sua própria vida. Boa parte do livro foi escrita durante a pandemia, em uma circunstância de isolamento. 

Rafael Guimaraens nasceu em Porto Alegre em 25 de maio de 1956. É jornalista profissional desde 1976. Atuou como repórter, editor e secretário de redação da Cooperativa dos Jornalistas de Porto Alegre (Coojornal). Foi editor de Política do jornal Diário do Sul. Entre os títulos publicados estão “A Dama da Lagoa” (2013), “Aguas do Guaíba” (2015), “O Sargento o Marechal e o Faquir” (2016), todos pela Libretos. 




publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895