Fendi lamenta fim da parceira de 54 anos com Karl Lagerfeld
capa

Fendi lamenta fim da parceira de 54 anos com Karl Lagerfeld

Designer alemão ingressou na marca italiana em 1965

Por
Correio do Povo

Silvia Venturini Fendi e Karl Lagerfeld em frente à Fonte de Trevi, em Roma

publicidade

A grife Fendi lamentou nesta terça-feira a morte de seu diretor criativo, Karl Lagerfeld. Em um comunicado, o ateliê franco-italiano disse que foi "extremamente afetado pela perda do Sr. Karl Lagerfeld". O alemão, que ocupava o mesmo cargo na francesa Chanel, e pelo qual era mais conhecido, ingressou na marca italiana em 1965. "Cinco décadas de inovação pura e inabalável - o relacionamento mais longo entre um designer e uma casa de moda. Ele era um verdadeiro visionário, dando vida a criações que estenderam os limites da moda. Graças à sua criatividade inigualável, em colaboração com Silvia Venturini Fendi, a Fendi é hoje sinônimo de qualidade atemporal, forte tradição e experimentação ousada e implacável", afirmou.

Silvia, herdeira e diretora criativa das linhas infantis de acessórios e para crianças, disse que está "profundamente triste porque hoje perdemos um homem único e um designer sem igual, que deu tanto para a Fendi e para mim".

Giorgio Armani e Donatella Versace também prestaram homenagens emocionais ao estilista. "Eu sempre achei que Karl Lagerfeld era um homem extraordinário por seu talento em seu trabalho e vida, que ele fundiu na medida em que os transformou em uma arte única: o jeito de ser Lagerfeld", disse Armani. "Estou muito impressionado com a sua morte, mas não posso deixar de pensar que até o último ele viveu imerso em seu maior prazer: deixar sua imaginação voar em dedicar-se ao seu trabalho", completou.

Versace disse, em seu Instagram, que o gênio do estilista "tocou a vida de muitos, em especial de Gianni e eu. Nunca esqueceremos o seu talento incrível e inspiração infinita. Sempre aprendemos com você".

Na mesma rede social, Vivienne Westwood também lamentou: "é um verdadeiro golpe - faz você perceber que o fim deve vir. Sentimos muito que esse colosso de um ser humano tenha desaparecido. Alguém que sempre falou o que pensa. Ele tinha um grande senso de humor e auto-ironia e dedicação incrível para o ofício de fazer roupas".