Festival Encantar conhece os seus vencedores

Festival Encantar conhece os seus vencedores

Marina Duarte, de Sapucaia do Sul, e Sá Biá, de Espumoso, levaram os primeiros lugares nas categorias Adulto e Kids, domingo à noite no Auditório Araújo Vianna

Vencedores do Festival Encantar com os seus troféus e o idealizador Otelio Drebes ao centro

publicidade

O Festival Encantar realizou sua final no início da noite de domingo, reabrindo os eventos oficiais do Araújo Vianna, com todos os protocolos sanitários. Os vencedores foram eleitos após 2,3 milhões de votos no site oteliodrebes.com.br. Marina Duarte, de Sapucaia do Sul, e Sá Biá, de Espumoso, levaram os primeiros lugares do concurso idealizado por Otelio Drebes. Os cantores foram eleitos entre mais de 1,3 mil candidatos. O evento teve plateia reduzida e mais de 35 profissionais de som, imagem, tecnologia e organização. Além dos seis candidatos, também se apresentaram Rafa Machado (vocalista do Chimarruts) e as duplas César e Rogério, Claus e Vanessa. 


Criado para espalhar alegria e auxiliar os músicos amadores durante a pandemia, o Encantar cumpriu papel social. Todos finalistas levaram cestas básicas para instituições filantrópicas. Os três vencedores de cada categoria levaram para casa os valores de R$ 6 mil, 3 mil e 1,5 mil, respectivamente. Marina Duarte venceu a categoria Kids, com 43,58% dos votos, cantando “Ando Meio Desligado”, de Rita Lee, Arnaldo Baptista e Sergio Dias. Com 11 anos de idade, ela canta desde os seis, quando ganhou da avó um curso de canto. Integra a banda Geração Z. “O Festival Encantar valorizou as crianças, o que é muito importante. Porque nenhum artista nasce adulto”, disse Marina. O 2º lugar foi de Theo Bobrzyk, com 13 anos, de Cândido Godói, e o terceiro lugar foi para Stefane Luz, com 26,42% dos votos. 


Aos 23 anos de idade, o intérprete Sá Biá venceu a categoria Adulto com 36,49%. A voz do cantor, de sabiá, é contratenor, alcançando timbres masculino (tenor) e feminino na mesma interpretação. Produtor cultural, formado em artes cênicas, cantou a clássica “Naquela Mesa”, composta por Sergio Bittencourt e eternizada por Nelson Gonçalves. “Estamos precisando de pessoas como Otelio Drebes e de políticas públicas que fomentem a cultura. Feliz por trazer a pauta para discussão”, afirmou Sá Biá. A vice-campeã foi Priscila Olave, de Pelotas e, em terceiro, ficou Betânia Delazeri, de Arroio do Meio. 

 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895