Grupo Almôndegas se apresenta no Auditório Araújo Vianna na sexta-feira

Grupo Almôndegas se apresenta no Auditório Araújo Vianna na sexta-feira

Os integrantes remanescentes da formação original realizam novo show

Correio do Povo

Grupo Almôndegas se apresenta no dia 1º de dezembro de 2023

publicidade

Depois do primeiro show realizado em Porto Alegre, que teve os ingressos esgotados com alguma antecedência, o Almôndegas vai retornar ao palco do Auditório Araújo Vianna, no dia 1º de dezembro. O grupo, que surgiu em meados da década de 70 e virou uma influência por conta da originalidade da sua proposta, executará diversos dos seus hits, como “Vento Negro”, “Canção da Meia-noite”, “Haragana”, “Androgismo” e “Sombra Fresca e Rock no Quintal”.

 Com encontros apenas esporádicos desde os anos 90, os integrantes remanescentes da formação original se juntaram mais uma vez para celebrar o legado da banda, que frequentemente é lembrada como um marco na história da música popular do Rio Grande do Sul. O Almôndegas, que chegou a ter o seu nome em evidência no restante do Brasil, ainda se transformaria numa referência para vários outros grupos locais, como Cidadão Quem e Nenhum de Nós.
 
Mesmo depois de tanto tempo, a banda continua sendo cultuada. O músico e escritor Arthur de Faria, recentemente, defendeu uma dissertação de mestrado que analisa o pioneirismo do grupo. “Os caras fundaram a música urbana gaúcha. Antes deles, quase só houve Lupicínio Rodrigues e Túlio Piva”, relata. “A banda veio no embalo da virada dos anos 60 para os 70, incorporou o mundo e a aldeia. Eles saíram das ‘tchurmas’ para serem ouvidos em larga escala, no restante do país. Os Almôndegas são os nossos Beatles.”

Almôndegas  

O Almôndegas surgiu na década de 70, em Pelotas. Formado por Kleiton, Kledir, Quico Castro Neves, Gilnei, Pery Souza, João Baptista e Zé Flávio, o grupo mesclava regionalismo com pop, misturando velhas canções do folclore gaúcho com MPB e rock. A banda, que sempre foi considerada uma das pioneiras da cena local, criou uma linguagem artística bastante particular. O fato destacou o Almôndegas em todo o Estado, sobretudo por conta do seu som original, criativo e de qualidade poética.

O ano de 1975 marcou a ida dos seus integrantes para Porto Alegre e a gravação do seu primeiro disco, autointitulado. “Almôndegas” permitiu que a banda realizasse apresentações em toda a região sul e conquistasse o 1º lugar no Festival Universitário da Canção Catarinense, com a música “Quadro Negro”. O segundo LP do grupo, chamado “Aqui”, saiu no mesmo ano e a faixa “Canção da Meia-Noite” foi incluída na trilha sonora da novela “Saramandaia”, da Rede Globo.

Depois de outros dois álbuns, a banda decidiu encerrar as suas atividades, em 1979. Apesar da situação, os integrantes do Almôndegas continuaram a se encontrar em diversas ocasiões, seja para comemorar os seus 15 anos de estrada, com uma série de shows realizados em 1990; ou para ser homenageado pelo Carnaval de Pelotas, em 2010.
 
Mesmo em pouco tempo, o trabalho do Almôndegas quebrou barreiras e se tornou uma referência para diversos artistas que vieram logo depois, como Thedy Corrêa, Wander Wildner, Duca Leindecker e outros mais. Numa eleição promovida pelo portal clicRBS, três canções da banda – “Vento Negro”, “Até Não Mais” e “Haragana” – foram lembradas por outros artistas entre as músicas que melhor representam o Rio Grande do Sul.

 

SERVIÇO – SHOW DO GRUPO ALMÔNDEGAS

 

Onde: Auditório Araújo Vianna (avenida Osvaldo Aranha, 685), em Porto Alegre
Quando: 1º de dezembro, sexta-feira, às 21h
Abertura da casa: 19h30min
Classificação: 16 anos
Ingressos online: www.sympla.com.br/araujovianna


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta deste domingo, dia 3 de março de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895